Denúncia de farsa na CPI da Petrobras é ‘extremamente grave’, diz Aécio

O diretório nacional do PSDB publicou uma nota sobre a denúncia da Revista Veja de fraude na CPI da Petrobras e disse que as acusações são “extremamente graves”, nas palavras de Aécio Neves. Leia a nota na íntegra: “O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, classificou a denúncia de farsa […]
| 05/08/2014
- 01:46
Denúncia de farsa na CPI da Petrobras é ‘extremamente grave’, diz Aécio

O diretório nacional do PSDB publicou uma nota sobre a denúncia da Revista Veja de fraude na CPI da Petrobras e disse que as acusações são “extremamente graves”, nas palavras de Aécio Neves.

Leia a nota na íntegra:

“O candidato à Presidência da República pela Coligação Muda Brasil, Aécio Neves, classificou a denúncia de farsa na CPI da Petrobras relatada pela revista Veja como “extremamente grave” em razão de envolver senadores e servidores do Congresso Nacional e funcionários do Palácio do Planalto.

Aécio defendeu investigação “a fundo” e antecipou que o PSDB anunciará na tarde desta segunda-feira (4) que medidas judiciais irá tomar.

“Nós queremos saber até onde isso foi. A indicação na matéria, que precisa ser comprovada, obviamente, é a participação não apenas de senadores, não apenas de funcionários do Congresso, o que é extremamente grave, mas funcionários da Presidência da República. Nós temos que investigar isso a fundo.”

A afirmação foi feita em São Paulo, nesta manhã, após participar da abertura do 13º Congresso Brasileiro do Agronegócio. O líder do PSDB no Senado, Aloysio Nunes Ferreira, que é vice em sua chapa e estava presente no mesmo evento, coordenará as discussões com líderes de outros partidos e advogados do PSDB para anunciar as providências a serem tomadas.

De acordo com reportagem da revista Veja, o ex-presidente da Petrobras José Sergio Gabrielli e o ex-diretor da área internacional da empresa Nestor Cerveró tiveram acesso prévio a perguntas que seriam feitas em sessão da CPI da Petrobras, em maio último. Conforme a revista, a farsa teve a participação de servidores ligados à Secretaria de Relações Institucionais, da Presidência da República.

“O senador Aloysio está indo agora para Brasília para nos representar nas discussões, inclusive com os advogados do partido”, afirmou Aécio Neves.

Neste domingo (3), Aloysio Nunes Ferreira antecipou que está em estudo o encaminhamento de representações ao Ministério Público e ao próprio Senado solicitando a apuração dos fatos, uma vez que funcionários da Casa participaram da fraude. O PSDB também quer saber se a presidente Dilma Rousseff (PT) tinha conhecimento do esquema”.

 

Últimas notícias