Geral

Delegado diz que há muitas informações para serem checadas sobre morte de PM em assalto

A Polícia Civil continua investigando a morte do soldado da Polícia Militar Rony Mayckon Varoni de Moura, de 28 anos, na terça-feira (3), na BR-262, na região do Indubrasil, em Campo Grande. O delegado responsável pelas investigações, Fabiano Goes Nagata, da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), evita dar detalhes sobre como estão às […]

Arquivo Publicado em 04/06/2014, às 20h47

None

A Polícia Civil continua investigando a morte do soldado da Polícia Militar Rony Mayckon Varoni de Moura, de 28 anos, na terça-feira (3), na BR-262, na região do Indubrasil, em Campo Grande. O delegado responsável pelas investigações, Fabiano Goes Nagata, da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), evita dar detalhes sobre como estão às investigações e sobre suspeitos do crime. “O pessoal está correndo atrás e checando muitas informações. Tem bastante coisa”, afirmou.

Segundo Nagata, o cabo da PM, que estava no carro com o soldado já foi ouvido e o caso continua sendo investigado como uma tentativa de latrocínio.


O crime


O policial militar foi morto a tiros por homens que estavam em duas motocicletas. Os criminosos se aproximaram do carro dele, um Saveiro, próximo da fábrica de bebidas, onde ele havia acabado de pegar um malote.


O carona, o cabo também da PM, não foi atingido pelos tiros. Cerca de 20 viaturas e 70 policiais estiveram no local, dentre PM, Polícia Civil e PRF (Polícia Rodoviária Federal) e duas pistas da rodovia ficaram interditadas.


Três adolescentes chegaram a ser apreendidos próximo ao local, porém, foram liberados pois não tinham relação com o crime.

Jornal Midiamax