Geral

Delegado confirma que mãe e filho morreram por inalação de gás em MS

O caso de Ana Maria Mota Ramos Filha, de 33 anos, que matou seu filho, de 12 anos, e se suicidou, está sento investigado pela polícia. O fato ocorreu na quarta-feira (11) em São Gabriel do Oeste, a 133 quilômetros de Campo Grande. Segundo o delegado Fabio da Silva Magalhães, responsável pelo caso, a perícia […]

Arquivo Publicado em 13/06/2014, às 18h54

None


Segundo o delegado Fabio da Silva Magalhães, responsável pelo caso, a perícia confirmou que mãe e filho morreram por inalação de gás. A mulher já tinha tentado estrangular seu filho quando levou o botijão de gás para o quarto e o abriu. Depois, ela ainda foi até o banheiro, onde cortou seus pulsos e pescoço. Por fim, ela se trancou com seu filho no quarto, onde os dois morreram por intoxicação.

A polícia ainda não ouviu testemunhas, mas vizinhos de Ana Maria já foram intimados para comparecerem à delegacia na segunda-feira (16). O delegado disse que ainda não ouviu o pai da criança, que foi quem encontrou sua mulher e filho mortos em casa, porque, como não há dúvidas sobre a autoria da mãe no crime, ele poderia ter um tempo para se recuperar emocionalmente antes de precisar falar sobre o caso.

O delegado ainda afirmou que não foram encontrados remédios controlados na casa da família, o que pode indicar que a mãe não sofria de distúrbios mentais ou psicológicos.

Mãe e filho foram sepultados nesta quinta-feira (12) em São Gabriel do Oeste.

O caso

Ana Maria Mota Ramos Filha teria enforcado seu filho, de 12 anos, com um fio, pegou um botijão de gás, se trancou no quarto com a criança. Ela abriu o botijão e em seguida, cortou os próprios pulsos.

Conforme a Polícia Civil, o pai teria chegado a casa, por volta das 8 horas, após o trabalho e encontrou a mulher e o filho mortos.

A criança estaria com um tumor e a família viajaria para Campo Grande na tarde de quarta-feira (11), onde saberiam o resultado do exame que apontaria se o menino estava com câncer.



Jornal Midiamax