Geral

Delegada encerra caso Giovanna até sexta-feira sem depoimento da jovem

A delegada titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, Rosely Aparecida Molina, vai encerrar o inquérito sobre as supostas agressões sofridas pela estudante Giovanna Nantes, 19 anos. Se a jovem não comparecer à delegacia até a próxima sexta-feira (7) o inquérito será concluído sem o seu depoimento. “Na quinta ou na sexta-feira pretendo explicar […]

Arquivo Publicado em 05/02/2014, às 12h32

None
1012610157.jpg

A delegada titular da Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher, Rosely Aparecida Molina, vai encerrar o inquérito sobre as supostas agressões sofridas pela estudante Giovanna Nantes, 19 anos. Se a jovem não comparecer à delegacia até a próxima sexta-feira (7) o inquérito será concluído sem o seu depoimento.

“Na quinta ou na sexta-feira pretendo explicar toda a dinâmica das investigações. Infelizmente se a jovem não aparecer vou ter que concluir as investigações sem o depoimento dela. Mas já estou elaborando o relatório final para entregar e cumprir o prazo de 30 dias”, afirma a delegada.

Molina também disse que não vai adiantar nenhuma informação sobre o caso até ele estar concluído. “Se eu falar, vou falar tudo, então melhor esperar a conclusão do inquérito”, explica.

O caso

Giovanna foi espancada violentamente, supostamente pelo seu namorado, Matheus Zadra Tannous, 19 anos, no dia da virada do ano. O motivo das agressões teria sido ciúmes de um primo da jovem.

Ela foi levada ao hospital com suspeita de traumatismo craniano e teve várias lesões graves no rosto. Giovanna precisou passar por uma cirurgia reconstrutiva da face. Após 21 dias da agressão, a jovem viajou para o Paraná e ainda não voltou para Campo Grande para prestar depoimento. Ela já alegou à imprensa, não se lembrar do que aconteceu no dia das agressões.

Já o namorado Matheus, passou 14 dias foragido, depois de ter a prisão preventiva decretada pelo Ministério Público. Ele foi preso no dia 22 deste mês, depois de dar entrada em um hospital psiquiátrico da Capital.

O jovem filho de médico passou apenas cinco dias na cadeia, até ter um pedido de habeas corpus concedido pela Justiça. Agora, ele espera o resultado das investigações em liberdade.

Jornal Midiamax