Geral

Defesa Civil Nacional reconhece estado de emergência da ponte do rio Paraguai

A Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec) reconheceu, oficialmente, nesta sexta-feira (12), por meio da portaria n.º 232/2014, a situação de emergência da ponte rodoviária da BR-262, construída sobre o rio Paraguai, que dá acesso aos municípios de Corumbá e Ladário. A determinação está presente na portaria publicada na página 4 do Diário […]

Arquivo Publicado em 12/09/2014, às 20h20

None

A Secretaria Nacional de Proteção e Defesa Civil (Sedec) reconheceu, oficialmente, nesta sexta-feira (12), por meio da portaria n.º 232/2014, a situação de emergência da ponte rodoviária da BR-262, construída sobre o rio Paraguai, que dá acesso aos municípios de Corumbá e Ladário. A determinação está presente na portaria publicada na página 4 do Diário Oficial da União (DOU).


A portaria n.º 232 foi divulgada considerando os decretos municipais nº 1.420 e 1.601 de Ladário e de Corumbá, respectivamente, além do decreto “E” n.º 50 publicado, no dia 4 de setembro no Diário Oficial de Mato Grosso do Sul, pelo governo do Estado.


Ponte do rio Paraguai


Por meio do decreto “E” n.º 50, o governo de Mato Grosso do Sul declarou situação de emergência, pelo prazo de 180 dias, na ponte rodoviária da BR-262, construída sobre o rio Paraguai, que liga Corumbá a Ladário.  A ponte é o único acesso rodoviário aos dois municípios, o que faz dela um caminho importante para transporte e abastecimento de produtos e atividades turísticas na região.


A situação de emergêncida foi declarada pelo Executivo Estadual devido ao acidente ocorrido na madrugada do dia 26 de agosto, em que uma embarcação paraguaia carregada com farelo de milho atingiu um pilar da ponte. Com a colisão a estrutura da ponte foi danificada, o que comprometeu a segurança do local para o tráfego de veículos.


Por enquanto, o tráfego na ponte acontece de forma limitada para garantir o bom fluxo de veículos e a segurança dos condutores. As pistas funcionam de modo parcial, sendo liberada uma faixa por vez. A quantidade de veículos também é monitorada a cada travessia. Ônibus e carros de passeio podem trafegar normalmente. Já os caminhões de sete eixos só são permitidos um a cada liberação de pista.

Jornal Midiamax