Geral

Decon apreende mais de 7 toneladas de alimentos impróprios para o consumo no Estado

Durante operação realizada pela DECON (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo), foram apreendidas mais de sete toneladas de alimentos impróprios para o consumo em todo o Mato Grosso do Sul. A ação é uma parceria com a IAGRO (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) e o MAPA (Ministério […]

Arquivo Publicado em 16/04/2014, às 19h51

None

Durante operação realizada pela DECON (Delegacia Especializada de Repressão aos Crimes Contra as Relações de Consumo), foram apreendidas mais de sete toneladas de alimentos impróprios para o consumo em todo o Mato Grosso do Sul.

A ação é uma parceria com a IAGRO (Agência Estadual de Defesa Sanitária Animal e Vegetal) e o MAPA (Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento), para combater os crimes contra as relações de consumo ao trânsito e comércio irregulares de animais, produtos e subprodutos de origens clandestinas, a operação foi realizada entre os dias 7 e 11 de abril.

As fiscalizações acontecerem principalmente em supermercados e açougues. Em Bandeirastes/MS quase 1,5 toneladas de produtos de origem animal sem inspeção sanitária oficial foram apreendidas.

Em Ribas do Rio Pardo (MS), diversos estabelecimentos comerciais foram fiscalizados, sendo encontrados em alguns, produtos de origem animal impróprios ao consumo humano ou produzidos sem inspeção oficial. Ao todo foram apreendidos mais de 200 quilos de produtos considerados impróprios ao consumo humano.

Em fiscalização na cidade de Nova Alvorada (MS), um laticínio foi interditado e mais de quatro toneladas de produtos de origem animal foram apreendidos por não constarem com registro de inspeção oficial, bem como por não atenderem às regras sanitárias regulamentares. Foram fiscalizados diversos supermercados na cidade, tendo sido realizada ação educativa, juntamente com a Vigilância Sanitária do município.

Mais de 1,5 toneladas de carnes de origem clandestinas foram apreendidas em Jaraguari (MS), além de um coração bovino com cisticercose, doença causada pela ingestão de ovos da Taenia Solium, popularmente conhecida como solitária. Os veterinários da IAGRO alertam que quando ingeridas por humanos pode causar problemas no sistema nervoso, como ataques epiléticos, podendo levar à morte.

Todo material apreendido foi destruído junto aos aterros sanitários de cada uma das cidades, sendo a ação acompanhada dos agentes da Vigilância Sanitária local.

Jornal Midiamax