Geral

Deam investiga caso de mulher torturada por mais de 5 horas pelo marido

A Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) investiga mais um caso horripilante de violência contra a mulher em Campo Grande. Dessa vez uma mulher de 35 anos passou mais de cinco horas sendo torturada por seu marido Humberto Siqueira Nascimento, 35 anos, até conseguir fugir e chamar a polícia. De acordo com o registrado, […]

Arquivo Publicado em 28/02/2014, às 13h03

None
645158829.jpg

A Delegacia Especializada de Atendimento à Mulher (Deam) investiga mais um caso horripilante de violência contra a mulher em Campo Grande. Dessa vez uma mulher de 35 anos passou mais de cinco horas sendo torturada por seu marido Humberto Siqueira Nascimento, 35 anos, até conseguir fugir e chamar a polícia.

De acordo com o registrado, as agressões começaram por volta das 22 horas desta quinta-feira (27) e só foram cessadas por volta das 4 horas desta sexta. O caso aconteceu no bairro Jardim Morenão, e a mulher estava com tanto medo do marido, que esperou ele fora de casa, até a chegada da polícia.

O que espantou os policiais foi a violência utilizada. Humberto bateu na mulher com socos, chutes, utilizou um fio de eletricidade para espancá-la, a ameaçou com uma faca e ainda a arrastou pelos cabelos.

De acordo com a polícia, durante as sessões de tortura, Humberto ainda mandou a mulher ajoelhar no chão e rezar para que o sangue dela não sujasse o cobertor do casal. Ela chegou a desmaiar, mas foi acordada com água para que o homem continuasse a maltratá-la.

Enquanto batia na mulher, Humberto tomava cerveja. Aos policiais a mulher afirmou que só conseguiu fugir quando o homem dormiu. Ela pulou a janela da casa e ligou para a polícia. Mesmo sendo de madrugada, ela esperou a polícia chegar fora de casa, de tanto medo que sentia.

Humberto é foragido da Colônia Agrícola Penal de Campo Grande, e as torturas teriam começado porque a mulher descobriu isso e quis pedir a separação. Ele cumpria pena por roubo.

A mulher foi encaminhada à Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário (Depac) para fazer o boletim de ocorrência e depois foi encaminhada ao Instituto Médico e Odontológico Legal (Imol) onde passará por exame de corpo de delito.

Humberto foi preso em flagrante e levado para a 4ª Delegacia de Polícia de Campo Grande. Sua fiança foi arbitrada em R$ 14 mil.

Jornal Midiamax