As tradições guaranis se misturam com os hábitos de grande parte dos sul-mato-grossenses. Sons, matizes e sabores se fundem à dança tramando e formando enlaces culturais. Neste contexto a cultura do Paraguai ganha destaque com apresentação de danças folclóricas pelo estado.

Nesta sexta-feira (30), a Colônia Paraguaia de Campo Grande é quem vai mostrar sua arte durante mais uma edição do Espaço da Poesia. Serão apresentadas as coreografias Eyuminte, Paraguari, Carreta Guy e Seleção de Polcas.

Criado em 2011, o grupo Colônia Paraguaia Danças Folclóricas é formado por crianças, adolescentes e adultos.

Além das danças haverá lançamentos de livros. A advogada e escritora Vera Tylde abrirá a edição deste mês do Espaço da Poesia com seu livro “Papel de presente”, uma coletânea de crônicas reunidas ao longo dos anos como Diretora Executiva do Instituto Histórico e Geográfico de Mato Grosso do Sul.

Na sequencia Rubenio Marcelo lança o livro “Veleiros da Essência”, que contém 80 poemas em versos livres e linguagem moderna de sua atual fase de produção. Poeta e compositor, atual secretário-geral da Academia Sul-Mato-Grossense de Letras e filiado à União Brasileira de Escritores (MS), é autor de dez livros e dois CDs. Foi um dos vencedores do tradicional concurso ‘ 17ª Noite Nacional da Poesia’.

Ainda homenageando a Colônia Paraguaia o ‘Espaço’ contará com uma série de declamações de poesia em Guarani, uma das línguas oficiais do Paraguai, falada pela maioria da população do país e de alguns países sul-americanos, inclusive o Brasil. É usada por mais de sete milhões de pessoas e tornou-se uma das únicas línguas indígenas americanas a obter reconhecimento nacional e literário.

Em seguida acontece o lançamento dos livros “Mitay do Pantanal”, de Nelson Vieira e “Pã-CheTetã – Poesias Reunidas”, de Delasnieve Daspet. A narrativa de Nelson, em linguagem simples e sem rodeios, conta a trajetória do personagem Mitay desde a infância até a idade adulta, enaltecendo a vida familiar e as paisagens pantaneiras, bem como hábitos, costumes e tradições. Faz alusões à música, às danças, festas tradicionais como o São João e faz referência aos “causos”, aos peões violeiros e ao hábito dos filhos pedirem a bênção dos pais.

Já o livro Pã-CheTetã, uma reunião de poesias de Delasnieve Daspet, é totalmente ilustrado por fotos de Mato Grosso do Sul cedidas pelos fotógrafos Aurora Vilalba, José Julio Gonçalves, Mota Junior, Rico e Bolivar Porto. A natureza é o grande ator de que se vale a autora para clamar contra a destruição, porta-voz da resistência representada pelo milagre das flores brotadas das cinzas geradoras.

Os irmãos Ever e Diego Zaracho Benitez apresentam no encerramento do Espaço da Poesia um show especial de em que a harpa e violão encantam o público com as tradicionais canções da cultura paraguaia. Com larga experiência em apresentações em todo o Paraguai e países americanos, os músicos levarão ao palco músicas que pela proximidade cultural também fazem parte das nossas tradições sul-mato-grossenses.

O Espaço da Poesia acontece nesta sexta (30), a partir das 19 horas. A entrada é franca. O Memorial da Cultura fica na Avenida Fernando Correa da Costa, 559, no Centro.