Geral

Creche é invadida por ladrões em Ladário; prejuízo pode chegar a R$ 10 mil

O Centro Municipal de Educação Infantil Professor Antônio Florêncio de Macedo, em Ladário, que fica na rua dos Boiadeiros, no bairro Boa Esperança, foi invadida na madrugada desta segunda-feira, (14), e teve materiais furtados. Nenhuma porta do estabelecimento de ensino foi arrombada, os ladrões aproveitaram um corredor que dá acesso a uma saída de emergência […]

Arquivo Publicado em 14/04/2014, às 22h39

None
1965139913.jpg

O Centro Municipal de Educação Infantil Professor Antônio Florêncio de Macedo, em Ladário, que fica na rua dos Boiadeiros, no bairro Boa Esperança, foi invadida na madrugada desta segunda-feira, (14), e teve materiais furtados. Nenhuma porta do estabelecimento de ensino foi arrombada, os ladrões aproveitaram um corredor que dá acesso a uma saída de emergência para entrar na instituição.

De acordo com a secretária de Educação daquela cidade, Maria Eulina Rocha dos Santos, é possível que o furto tenha sido praticado por mais de uma pessoa. “A diretora chegou por volta das 06h30 e quando entrou, percebeu que estava faltando o computador.

Ao verificar o local, se deparou com a televisão na janela. Os ladrões praticaram toda a ação pela janela, só não conseguiram levar a TV”, contou a secretária ao Diário Corumbaense.

Foram levados computador, DVD, ventilador, garrafas térmicas, além de objetos que são utilizados nas atividades diárias com as crianças. Boletim de ocorrência vai ser registrado pela direção da creche ainda nesta segunda-feira.

“Contamos com o apoio da comunidade, que nos comunique assim que perceber que tem alguém com atitudes suspeitas. São materiais necessários para a aprendizagem dos alunos. A estimativa é de um prejuízo de 10 mil reais, mas o maior prejuízo foi a perda do acervo da escola que estava no computador, o histórico dos alunos e fotos”, explicou Maria Eulina.

No final de setembro do ano passado, a Escola Municipal Nelson Mangabeira, no bairro Alta Floresta II, em Ladário, foi arrombada e teve equipamentos didáticos; computadores e materiais de construção furtados.

Poucos dias depois, já no começo de outubro, a Polícia Civil daquela cidade apreendeu dois adolescentes e recuperou grande parte do material levado na ação. A investigação descobriu ainda que uma quadrilha, composta por cerca de 10 pessoas, utilizava-se de menores de idade para praticarem o furto.

Jornal Midiamax