Geral

Corumbá e Bolívia definem agenda comum para discutir integração fronteiriça

Autoridades brasileiras e bolivianas definiram uma pauta de problemas comuns que vão ser tratados pelos dois governos até a realização de um grande encontro envolvendo os dois países, que deve acontecer no segundo semestre deste ano. A definição da agenda conjunta aconteceu durante a manhã desta terça-feira, 08 de abril, na reunião binacional para solução […]

Arquivo Publicado em 08/04/2014, às 23h57

None

Autoridades brasileiras e bolivianas definiram uma pauta de problemas comuns que vão ser tratados pelos dois governos até a realização de um grande encontro envolvendo os dois países, que deve acontecer no segundo semestre deste ano. A definição da agenda conjunta aconteceu durante a manhã desta terça-feira, 08 de abril, na reunião binacional para solução de problemas fronteiriços, realizada na sede do Sebrae em Corumbá.

Participaram do encontro os prefeitos Paulo Duarte (Corumbá), José Antonio Assad e Faria (Ladário) e o diretor da regional do Departamento de Santa Cruz da Agência para Desenvolvimento das Macrorregiões e Zonas de Fronteira (Ademaf), Emílio Rodas Panique.

Reunião binacional definiu que segurança é o primeiro tema a ser debatido em proposta de integração fronteiriça

Ficou definido que o primeiro tema a ser discutido será a segurança na zona de fronteira entre Corumbá e Bolívia. As discussões serão realizadas no dia 09 de maio, em local e data a serem definidos. Inicialmente prevê a cidade boliviana de Puerto Suárez como sede dos debates.

“Queremos começar, a partir de agora, a ter um trabalho mais próximo e um vínculo mais efetivo com a Bolívia. A fronteira é muito importante para Brasil e Bolívia, passam muitas riquezas por aqui, como o gás natural. Há também muitos produtos que são exportados ou importados pelas nossas ferrovias, rodovias e hidrovia. Temos condições de fazer uma fronteira melhor e a integração começa por nós que moramos aqui na linha fronteiriça, sem esperar os governos. É um primeiro passo que damos”, afirmou o prefeito Paulo Duarte.

O chefe do Executivo corumbaense apresentou números que comprovam a força econômica dessa região de fronteira. Segundo ele, em 2013 dos cerca de 210 mil turistas que visitaram Corumbá ano passado e 60 mil deles foram fazer compras na Bolívia e gastaram R$ 41 milhões e no carnaval foram R$ 2 milhões gastos no lado boliviano pelos turistas.

“Se tivermos condições melhores de segurança, esses números podem duplicar, triplicar. Ainda tem aquele estigma de dizer ‘não vá com carro mais novo que pode ser roubado’, e muitas vezes são brasileiros que praticam crimes na Bolívia”, disse Duarte destacando um dos motivos para começar os debates a partir da segurança. “Temos que ver a fronteira como oportunidade”, completou.

Já o prefeito José Antonio, afirmou que a oportunidade para desenvolver uma política conjunta de integração é agora e a Prefeitura de Ladário apoia ações que busquem esse objetivo final.

Prefeitos de Ladário e Corumbá trataram agenda diretamente com diretor de agência boliviana para desenvolvimento fronteiriço

O diretor da Ademaf, Emílio Rodas Panique avaliou a iniciativa como positiva e destacou que a vinda dele a Corumbá foi uma determinação do presidente Evo Morales, que havia discutido com Paulo Duarte – na primeira quinzena de março deste ano – a necessidade de traçar uma estratégia conjunta para debater e busca soluções para as necessidades comuns dos povos das cidades desta fronteira.

“Os processos diplomáticos são muito lentos, é hora de nos reunirmos. Vamos discutir a problemática de fronteira inicialmente pela segurança, mas vamos ainda debater a integração comercial, transportes, turismo, integração cultural, desenvolvimento econômico, planejamento. Estamos desenvolvendo um trabalho que nos permitam, num grande encontro, anunciar as medidas conjuntas que tomamos e no que avançamos”, completou.

Jornal Midiamax