Geral

Corpo de Bombeiros orienta banhistas sobre como evitar afogamentos neste carnaval

O Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul (CBMMS) alerta a população para os riscos de afogamento neste carnaval. Os casos de afogamento normalmente acontecem em rios e balneários do interior do Estado, em virtude da grande procura pelos turistas. Para prevenir afogamentos e mortes, o CBMMS faz um alerta. “Nunca entrar em […]

Arquivo Publicado em 27/02/2014, às 13h16

None

O Corpo de Bombeiros Militar de Mato Grosso do Sul (CBMMS) alerta a população para os riscos de afogamento neste carnaval. Os casos de afogamento normalmente acontecem em rios e balneários do interior do Estado, em virtude da grande procura pelos turistas.

Para prevenir afogamentos e mortes, o CBMMS faz um alerta. “Nunca entrar em lugares desconhecidos, usar colete salva-vidas e só entrar em embarcações que tenham profissionais habilitados”, disse o comandante-geral da Corporação, coronel Ociel Ortiz.

Além dos cuidados citados pelo coronel, há uma série de outras medidas para evitar afogamentos, como: procurar um local conhecido por você ou por outra pessoa, desde que ela o acompanhe; não ultrapassar faixas e placas de avisos; não entrar em locais onde há avisos de perigo de morte ou em águas poluídas; procurar sempre local onde exista a presença de guarda-vidas ou Corpo de Bombeiros; evitar nadar sozinho; não tomar bebida alcoólica antes de entrar na água; não se afastar da margem; não saltar em locais elevados para dentro da água; não tentar salvar pessoas em afogamento sem estar habilitado, é preferível lançar flutuadores em vez da ação corpo a corpo; identificar nas proximidades a existência do salva-vidas e permanecer próximo dele; evitar brincadeiras de mau gosto como caldos, trotes, saltos; não deixar crianças sozinhas; evitar navegar com carga em excesso e, por último, sempre acatar as orientações dos bombeiros ou dos salva-vidas.

Os locais considerados mais perigosos para os banhistas são: o Rio Taquari, na região de Coxim, o Rio Aquidauana e o Rio Paraguai, principalmente na região de Corumbá.

Jornal Midiamax