Geral

Conselho nega possível saída de Graça Foster: “Inverídica”

Os membros do Conselho Administrativo da Petrobras informaram, em comunicado aos seus acionistas, que são “inverídicas” as informações de uma possível saída de Graça Foster do cargo de presidente da companhia. O grupo “refuta, por inverídicas, quaisquer especulações sobre a saída da presidente Maria das Graças Silva Foster”, diz trecho do texto divulgado na tarde […]

Arquivo Publicado em 08/08/2014, às 20h40

None
1657298871.jpg

Os membros do Conselho Administrativo da Petrobras informaram, em comunicado aos seus acionistas, que são “inverídicas” as informações de uma possível saída de Graça Foster do cargo de presidente da companhia. O grupo “refuta, por inverídicas, quaisquer especulações sobre a saída da presidente Maria das Graças Silva Foster”, diz trecho do texto divulgado na tarde desta sexta-feira 8.

Em entrevista ao jornal O Globo, o advogado-geral da União, Luiz Inácio Adams, declarou que seria inviável a permanência da executiva como presidente da estatal caso o TCU (Tribunal de Contas da União) determinasse o bloqueio de seus bens no caso Pasadena. Graça Foster recorreu ao STF (Supremo Tribunal Federal) no final de julho para tentar impedir o bloqueio. Na quarta-feira (6) o tribunal adiou a decisão sobre o bloqueio de bens da presidente e outros dirigentes da empresa.

Relator do processo que investiga a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos, pela petroleira, o ministro José Jorge, do TCU, decretou o bloqueio de bens de 11 executivos da estatal para garantir o ressarcimento de US$ 792 milhões à empresa, em decorrência do prejuízo causado com a negociação de Pasadena. Graça Foster não constava da lista, mas poderia ser incluída com alterações que o tribunal pretendia fazer nessa semana.

Jornal Midiamax