Geral

Congresso médico abre novos caminhos para tratamento de câncer em Campo Grande

Um Congresso médico que será realizado nesta sexta-feira (11) em Campo Grande, trará para os médicos da capital, formas inovadoras de cirurgias para retiradas de tumores e facilidades para realização de biópsia de nódulos cancerígenos. O Omnia, Congresso Médico-Científico Internacional Brasil-Itália, realizado a cada dois anos, trará médicos brasileiros e italianos que possuem i...

Arquivo Publicado em 10/04/2014, às 21h20

None

Um Congresso médico que será realizado nesta sexta-feira (11) em Campo Grande, trará para os médicos da capital, formas inovadoras de cirurgias para retiradas de tumores e facilidades para realização de biópsia de nódulos cancerígenos.

O Omnia, Congresso Médico-Científico Internacional Brasil-Itália, realizado a cada dois anos, trará médicos brasileiros e italianos que possuem importantes pesquisas acerca de vários temas, destacando dois trabalhos muito importantes na área de oncologia.


O site Midiamax conversou com o chefe do serviço de oncologia do Hospital do Câncer, Dr. Rodrigo Laraya, que fez esclarecimentos a respeito do evento.


Quais temas serão debatidos no congresso? 


Dermatologia, oftalmologia, anestésio, ortopedia oncológica, cardiologia, mastologia, entre outros.


Como são feitos os debates durante o congresso? 


Nós fazemos uma mesa de discussão de tratamento das patologias, sobre o que realizamos aqui na nossa cidade, estado e país em relação ao que se faz na Itália e na Europa. A gente realiza trocas de experiências e informações.


Há novos métodos que serão discutidos e poderão ser implantados em Campo Grande?


 Uma das palestrantes fez um trabalho muito interessante. Um exame de PET-CT tem custo elevado e de ultrasson tem custo mais baixo. A Dra. Amanda Marchi, da Itália, desenvolveu uma técnica utilizando o método de contraste junto com o ultrassom, o que aumentou o sucesso nas biópsias guiadas que antes eram de 60%, para 80%.


Quais os métodos atuais para detectar nódulos cancerígenos? 


Hoje em dia se utiliza do PET-CT, um aparelho que localiza lesões extremamente pequenas que aparentemente estao indetectáveis. O aparelho, porém, não orienta a biópsia, só diz onde está a lesão. O método de ultrassom também é utilizado, mas em tumores já aparentes. O ultrassom também é utilizado para orientar o médico a fazer a biópsia ou para saber o tamanho do tumor, se tem liquido dentro, etc.


Algum outro tema relevante será tratado no Congresso?


 Bom, outra pessoa que também virá é o Dr. Eduardo Sasao, Chefe do Grupo de Oncologia Ortopédica da Santa Casa de São Paulo. Ele vai trazer para nós uma técnica de retirada de tumores da bacia e sacro (cóccix) por meio de vídeoscopia, explanando sobre ela e realizando um treinamento. Antes dessa técnica, essa cirurgia era feita de maneira aberta, gerando grandes cicatrizes, alto indice de infecção e mortalidade. Essa nova técnica já está sendo utilizada aqui no Brasil e em outros países em que o Dr. Eduardo tem ensinado. Por ter menor incisão, o paciente sangra muito pouco e também diminui os riscos de infecção e morte. Também estará presente o Dr. Roberto Biaggini, italiano, que trará novas técnicas de tratamento de tumores na coluna.




O evento será realizado amanhã no Hospital São Julião, a partir das 8h, com programação para o dia inteiro.



Jornal Midiamax