Geral

Condutor de Blazer que atropelou e matou garçom tem pedido de liberdade aceito

O digitador Vinicius Leite Soares, de 21 anos, que se envolveu em um acidente no último domingo (13), que terminou com a morte do garçom Gerson Fernandes Guimarães, de 42 anos, entrou com um pedido de liberdade provisória. O pedido foi atendido nesta terça-feira (15). De acordo com dados do processo, que constam no Tribunal […]

Arquivo Publicado em 15/04/2014, às 17h41

None

O digitador Vinicius Leite Soares, de 21 anos, que se envolveu em um acidente no último domingo (13), que terminou com a morte do garçom Gerson Fernandes Guimarães, de 42 anos, entrou com um pedido de liberdade provisória. O pedido foi atendido nesta terça-feira (15). De acordo com dados do processo, que constam no Tribunal de Justiça (TJ MS), o pedido foi feito na segunda-feira (14). O Ministério Público Estadual se manifestou pela aplicação das medidas cautelares de prestação de fiança, no valor de 30 (trinta) salários mínimos e comparecimento periódico em juízo.

A juíza Eucelia Moreira Cassal analisou que o jovem não conta com condenação criminal.
Embora os fatos sejam graves, não vislumbro que prisão seja necessária, conforme determina… Posto isso, concedo ao requerente Vinicius Leite Soares a LIBERDADE PROVISÓRIA e, nos termos do § 2º, do artigo 282, do Código de Processo Penal, imponho-lhe a medida cautelar de proibição de frequentar bares e conveniências, casas noturnas e locais semelhantes; proibição de ausentar-se da Comarca e prestação de fiança, no valor de R$ 5 mil”, diz a decisão.

O rapaz conduzia uma Blazer que se envolveu em um acidente fatal no cruzamento das ruas Coronel Manoel Cecílio com a Guerra Junqueira, no bairro São Bento – região central de Campo Grande. Vinicius invadiu a preferencial e provocou a colisão com uma motocicleta Honda Fan, pilotada pelo garçom.

Morte – Gerson subia pela Coronel Manoel Cecílio, que é preferencial, quando foi atingido por uma Blazer, dirigida por Vinicius, que invadiu a via. O veículo parou a aproximadamente 600 metros do local do acidente e o condutor prestou socorro, mas o motociclista morreu antes da chegada do Samu (Serviço de Atendimento Móvel de Urgência) e do Corpo de Bombeiros.
Testemunhas contaram que Vinicius teria descido pela via por não ter visto a placa de “Pare”.

Amigos de Gerson também estiveram no local e informaram que a vítima havia saído do trabalho, pois era garçom de uma churrascaria. “Eu passei, vi a Blazer vindo, mas aí acelerei para ela não me pegar e ela acabou pegando o Gerson”, conta Carlos Alves, colega de trabalho da vítima. O motociclista deixa quatro filhos e dois netos.

Jornal Midiamax