Geral

Com Vila Almeida fechada há cinco dias, UPA Coronel Antonino fica superlotada

Leitores denunciam falta de médicos para atender demanda de pacientes no final de semana

Ludyney Moura Publicado em 29/12/2014, às 11h25

None
logo.png

Leitores denunciam falta de médicos para atender demanda de pacientes no final de semana

O fechamento temporário da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) da Vila Almeida, sobrecarregou a unidade médica mais próxima aos moradores da região, a UPA do Bairro Coronel Antonino.

Na noite de ontem, domingo (28), leitores do Jornal Midiamax, enviaram imagens e reclamaram da superlotação da UPA Coronel Antonino, que recebeu dezenas de pessoas que não conseguiram atendimento na Vila Almeida.

A previsão da Sesau (Secretaria Municipal de Saúde) era normalizar o atendimento na Unidade, fechada na véspera do Natal depois que parte do forro desabou com fezes de pombo, ainda nesta segunda-feira (29).

“Tenho uma reunião lá na UPA (Vila Almeida) às 9h com o pessoal da Seintrha (Secretaria Municipal de Infraestrutura, Transporte e Habitação) para ver quando vamos abrir a unidade”, disse o titular da Sesau, Jamal Salem (PR).

A assessoria do órgão informou que durante todo o período natalino o atendimento de urgência e emergência foi mantido na unidade, e apenas casos ambulatoriais foram encaminhados para outros postos de saúde, que também receberam os médicos que estavam na escala de plantão da UPA interditada.

A Sesau prepara uma avaliação do atendimento oferecidos nos postos de saúde durante o período do Natal para corrigir erros e melhorar o serviço oferecido durante o recesso das festas de Ano Novo, que começam na próxima quarta-feira (31).

De acordo com a programação divulgada pela secretaria, nesta segunda-feira a UPA do Coronel Antonino que estava superlotada ontem a noite, terá seis médicos para adultos e quatro infantis no período matutino, cinco para adultos e nenhum pediatra a tarde e novamente seis médicos para atender realizar atendimento a adultos na noite de hoje e quatro para atender crianças. 

Whatsapp: Fale com os jornalistas do Midiamax

O leitor enviou as imagens pelo Whatsapp da redação, no número (67) 9207-4330. O canal de comunicação serve para os leitores falarem diretamente com os jornalistas do Midiamax. Flagrantes inusitados, denúncias, reclamações e sugestões podem ser enviadas com total anonimato garantido pela lei.

Jornal Midiamax