Geral

Com tensão, Curitiba mantém otimismo por confirmação na Copa

Nesta terça-feira, às 15h (de Brasília), o secretário-geral da Fifa, Jérome Valcke, concede uma entrevista em Florianópolis para dar a decisão final sobre a Arena da Baixada como sede da Copa do Mundo de 2014. De estádio com previsão para ser entrega por primeiro, o local virou o mais atrasado até aqui. No último balanço […]

Arquivo Publicado em 18/02/2014, às 11h22

None

Nesta terça-feira, às 15h (de Brasília), o secretário-geral da Fifa, Jérome Valcke, concede uma entrevista em Florianópolis para dar a decisão final sobre a Arena da Baixada como sede da Copa do Mundo de 2014. De estádio com previsão para ser entrega por primeiro, o local virou o mais atrasado até aqui. No último balanço divulgado pelo Atlético-PR, a conclusão está em 88,8%. Entretanto, uma pequena evolução no último mês elevou a 91%. O valor da obra, orçado inicialmente em R$ 184 milhões, subiu para R$ 265 milhões e, atualmente, está avaliada em R$ 330 milhões.

Essa pequena aceleração, entretanto, será o triunfo da cidade para convencer a Fifa de que possui condições de sediar o principal torneio da modalidade. Cobrada no dia 21 de janeiro para mostrar melhoras significativas, um plano emergencial teve que ser criado às pressas.

Antes da visita do mês passado, reuniões entre representantes estaduais, municipais e do clube paranaense selaram uma espécie de união para dar explicações a entidade máxima do futebol. Após o encontro com a Fifa, três pilares foram definidos: a criação de um comitê gestor com um representante do Governo, Prefeitura, Atlético-PR e Comitê Organizador Local (COL) para fiscalizar e discutir problemas do dia a dia na obra, o aumento no número de operários e a liberação de R$ 39 milhões para seguir com a reforma.

Em quase quatro semanas, as evoluções na Arena da Baixada foram visíveis. Atendendo as exigências impostas em janeiro, o estádio finalizou o que lhe foi solicitado como prioridade: o gramado, em menos de uma semana, teve sua conclusão; a cobertura acabou concluída na última quinta-feira e a instalação das 10 mil cadeiras – essa superou e se aproxima de mais de 15 mil, mas nem todas fixadas ainda.

Além disso, os operários da obra garantem que o trabalho realizado ultrapassou o exigido. Nesta segunda-feira, os refletores dos estádios, que eram uma crítica “menor”, foram instalados no período da tarde. Os vestiários e área de circulação também avançaram e estão em fase de acabamento.

Dessa forma, as autoridades estão confiantes e uma exclusão de Curitiba é considerada como surpresa. “Eu tenho certeza que a Copa será confirmada em Curitiba após a visita da Fifa na Arena da Baixada”, aposta Reginaldo Cordeiro, secretário municipal da Copa.

Visita e definição

A visita citada pelo político acontece no período da manhã, quando o consultor de estádios da Fifa, Charles Botta, fará o mesmo caminho de Valcke em janeiro – e realizada por representantes locais duas vezes neste final de semana.

A vistoria técnica que definirá o futuro da Arena da Baixada será feita por volta das 10h30 e uma ligação do consultor suíço a Jérôme Valcke passará suas impressões finais. Vale lembrar que Botta já esteve presente no estádio em duas oportunidades neste mês para fiscalizar o andamento e vem passando relatórios ao secretário-geral da Fifa sobre suas impressões.

‘Não existe o risco de Curitiba ficar sem a Copa. Já existiu, mas as providências foram tomadas’, acredita Aldo Rebelo, Ministro dos Esportes. ‘Estamos de parabéns, está tudo em condições para a visita da Fifa”, completa Cordeiro.

Temor?

A única possibilidade de Curitiba não seguir como cidade-sede para o Mundial é não ter garantias para terminar o estádio. Até o momento, o dinheiro é suficiente apenas até o final deste mês. Na última quarta-feira, dia 12, uma nota no site oficial do Governo, assinada pelo governador Beto Richa, pelo prefeito de Curitiba, Gustavo Fruet, e pelo presidente do Atlético-PR, Mario Celso Petraglia, confirmou o pedido de empréstimo ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

O valor é de R$ 250 milhões, sendo que R$ 65 milhões serão destinados a Arena da Baixada. Esse financiamento, entretanto, não saiu no intervalo entre a data da solicitação e a do anúncio prometido pela Fifa.

O Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR) chegou a interver no dia seguinte e solicitou a suspensão dos recursos, alegando que o orçamento final, o cronograma físico-financeiro e as justificativas para as alterações nas obras não foram enviadas, até o momento, conforme solicitado.

Esse assunto será uma das pautas importantes na reunião que antecede a visita técnica ao estádio. As autoridades municipais e estaduais garantem que o valor será liberado ainda neste mês para a conclusão da Arena da Baixada.

Protesto e clima de tensão

Através das redes sociais, um evento chamado “Segundo ato contra a Copa do Mundo – Curitiba” promete realizar um protesto no centro da cidade, a partir das 18h30. O ato, porém, vem gerando discussão e até ameaças entre pessoas a favor e contra a vinda do Mundial.

A principal briga fica por conta da Arena da Baixada. Torcedores do Atlético-PR pedem para os manifestantes não chegarem perto do estádio, enquanto alguns incentivam a ida ao local do clube paranaense.

Vale lembrar que, em um dos protestos no ano passado, um enorme grupo se direcionou a Arena e foi recebido por integrantes de uma torcida organizada, que entrou em conflito com os manifestantes.

Jornal Midiamax