Geral

Com mais de 70 ocorrências em um mês, som alto pode render pena e multa para infratores

Cada vez mais a Polícia Militar tem recebido ligações reclamando de som alto em festas, bares, conveniências e até mesmo som automotivo que passa dos limites nas ruas de Campo Grande. Prova disso foram as mais de 70 ocorrências registradas pela PM e pela Polícia Civil entre os dias 1º de janeiro e 1º de […]

Arquivo Publicado em 05/02/2014, às 19h01

None
1106885975.JPG

Cada vez mais a Polícia Militar tem recebido ligações reclamando de som alto em festas, bares, conveniências e até mesmo som automotivo que passa dos limites nas ruas de Campo Grande. Prova disso foram as mais de 70 ocorrências registradas pela PM e pela Polícia Civil entre os dias 1º de janeiro e 1º de fevereiro. O que pouca gente sabe é que som alto pode caracterizar crime ambiental e pode render pena de 1 a 4 anos e multa de 5 mil reais para o infrator.

De acordo com a Comunicação Social da Polícia Militar, é complicado para a corporação ir verificar uma denúncia desse tipo porque assim que a o responsável pelo som alto percebe a aproximação da viatura, ele abaixa o volume e a PM não consegue efetuar o flagrante.

Já em relação aos bares e conveniências, a Polícia Militar consegue ter um controle maior devido ao policiamento ostensivo e a operação saturação.

Perturbação do sossego, crime ambiental e infração de trânsito (quando o infrator usa som automotivo em um volume não autorizado), são as ocorrências que a Polícia Militar tem recebido constantes reclamações no último mês.

Em caso de flagrante, a Polícia Militar conduz o infrator e o equipamento para a delegacia. A pena para perturbação do sossego varia de 15 dias a 3 meses ou multa.

Lei do silêncio em Campo Grande

A assessoria da Polícia Militar também informou que a Lei do silêncio de Campo Grande determina quantos decibéis são permitidos em cada área da cidade e também qual é o volume permitido perto de escolas, hospitais, residências durante cada período do dia. O volume do som é medido pelo decibelímetro, aparelho que a Polícia Ambiental e o Bptran possuem.

A orientação da Polícia Militar é que a pessoa que se sinta prejudicada pelo som alto procure a delegacia e faça um boletim de ocorrência.



Jornal Midiamax