Geral

Com humor ou com amor, empresária emplaca ideias em Campo Grande

“Emplacando suas ideias”. Assim que a campo-grandense Gracielle Pimentel, 38 anos, vende seu peixe. Ela personaliza placas, prensadas e adesivadas, de tudo quanto é tipo. “Faço com o detalhe que a pessoa quiser, fotos, caricaturas, frases, versículos bíblicos, para crianças, casamento, empresas, veículos”. E até mesmo reclamação. Dona feroz Dois meses atrás, Gracielle fez a plac...

Arquivo Publicado em 15/02/2014, às 20h11

None
442097704.jpg

“Emplacando suas ideias”. Assim que a campo-grandense Gracielle Pimentel, 38 anos, vende seu peixe. Ela personaliza placas, prensadas e adesivadas, de tudo quanto é tipo. “Faço com o detalhe que a pessoa quiser, fotos, caricaturas, frases, versículos bíblicos, para crianças, casamento, empresas, veículos”. E até mesmo reclamação.

Dona feroz

Dois meses atrás, Gracielle fez a placa que elegeu como a mais engraçada: “Esqueça o cão! Dona feroz! Murcho os 4 pneus, chamo a polícia e o guincho. Entendeu ou preciso desenhar?”. O pedido foi feito por dona Mailda, idosa que mora no bairro São Conrado e brigava constantemente com o vizinho, borracheiro.

Clientes do vizinho ocupavam sua calçada, trocavam pneu, dificultando a entrada da idosa na própria casa. Ela colocou a placa  na frente de sua casa. “E segundo ela, funcionou”, ri Gracielle.

Carro forte

Placas de casamento são o carro forte do negócio, com dizeres apaixonados, nome do casal, data. Há também as cômicas, citando o atraso da noiva, ou dizendo para o noivo desistir.“É uma decoração que ao mesmo tempo é uma lembrança que vai acompanhar a pessoa para sempre, ela não se desfaz da placa”, diz. Placas infantis também vendem bem, de acordo com a empresária. A mais vendida até hoje é declaração de amor: “Meu pai é o cara”.

Gracielle faz placas personalizadas há quatro anos, quando teve um “estalo” e resolveu voltar a fazer as placas, que costumava fazer durante a faculdade. “Fui atrás e encontrei pessoas que terceirizassem”, explica. Cerca de duzentas placas são vendidas por mês, cada uma custa em média, uns R$ 40. Gracielle leva dois dias para personalizar uma placa.

Vendendo fora

Com a criação de página no Facebook  e site , a empresária vende placas para todo o Brasil, principalmente para o interior de São Paulo, Minas Gerais, e Sul do país. Já mandou placas até para Portugal, Espanha, Suíça, EUA e Áustria. “É um trabalho que poucos fazem, se não me engano são só quatro no Brasil. O maquinário é muito caro”, explica.

Amor e carinho

“Não é um trabalho que dá muito dinheiro. Faço mais porque gosto, é gostoso participar de um momento importante das pessoas. Faço tudo com muito amor e carinho”, revela Gracielle, que  tem loja de placas personalizadas infantis em Box da Feira Central.

“É um trabalho de semear, vamos ver se conseguimos colher mais frutos agora”, almeja, avisando que vai participar de exposição de noivas no Estado, mostrando suas ideias emplacadas. O telefone para encomenda de placas é 8414-5451.

Jornal Midiamax