Em 18 de janeiro, Rosimeire Oliveira Borges acreditava estar solucionando um problema. Na data ela recebeu a visita técnica da NET para consertar o Wi-Fi de sua residência, com problemas desde novembro de 2013. No entanto após a ida do técnico e a chuva que caiu torrencialmente na Capital ela descobriu um transtorno muito maior: cinco goteiras espalhadas, sendo três na sala.

“Nunca tive esse problema aqui. O que mais me chamou a atenção é que o técnico veio sozinho. Era um rapaz novo e fez o serviço muito rápido. Não sei se tirou lugar as telhas e não pos de volta ou se quebrou. O resultado da visita foram diversas goteiras e a minha preocupação em ter que mudar móveis de lugar. Nem ligo mais os eletrônicos pois se essa água prejudicar a fiação elétrica corro o risco de queimar produtos caros”, reclama a professora que enfrenta o problema justamente nas férias, período que por conta da visita técnica trocou o descanso pelo stress.

Rosimeire recebia a mãe de 84 anos em casa quando as goteiras apareceram. No intuito de evitar riscos de acidente ela transferiu Dona Abadia, que usa andador para se locomover, para a casa do filho. A consumidora entrou em contato com a Central de Atendimento da NET, de onde recebeu o pedido de 48 horas para uma resposta.

No entanto, o protocolo 0011140575648176 segundo a cliente não teve cumprimento já que terminado o prazo não houve uma segunda visita para análise do telhado ou apenas uma orientação de providências. A professora lamenta a postura da empresa já que é cliente da NET há seis anos e diz que nunca atrasou o pagamento de uma fatura.

O Midiamax tentou entrar em contato com a NET até o fechamento desta reportagem porém não obteve respostas sobre a acusação da consumidora.