Geral

Cirurgião-dentista é vítima de sequestro relâmpago e tem caminhonete “encomendada”

A vítima foi abordada pelo criminosos quando parou o veículo para atender o celular na Avenida Salgado Filho, próximo do cruzamento com a Via Morena, em Campo Grande

Arquivo Publicado em 07/03/2014, às 11h25

None

A vítima foi abordada pelo criminosos quando parou o veículo para atender o celular na Avenida Salgado Filho, próximo do cruzamento com a Via Morena, em Campo Grande

Um cirurgião-dentista de 37 anos, que teve a identificação preservada, foi vítima de um sequestro relâmpago na noite de ontem (6), por volta das 20h30. O fato aconteceu na Avenida Salgado Filho, próximo do cruzamento com a Via Morena, na Vila Progresso – região sul de Campo Grande. 

Consta no boletim de ocorrência que, o rapaz conduzia a caminhonete S-10, placas NRU-3577, e quando parou o veículo em frente de uma academia para atender o celular, foi abordado por dois homens, que anunciaram o assalto. Um deles estava armado com um revólver. 
A vítima relata que, um dos assaltantes tomou a direção da caminhonete e ele teve que se sentar no banco do passageiro. Enquanto o comparsa, ficava no banco de trás. O dentista disse que foi ameaçado a todo momento, tinha que ficar com a cabeça baixa e que teve a arma apontada para a sua barriga o trajeto todo. 
O criminoso seguiu para a saída de São Paulo, mas em um trecho da rodovia, mandou que a vítima descesse do veículo. Um dos assaltantes ficou com ele, no meio do mato, enquanto o outro levava o veículo. 
O dentista, aproveitou um momento de distração do ladrão, e fugiu. O assaltante chegou a efetuar dois disparos de arma de fogo na direção da vítima, mas não acertou. Ele contou à polícia que, tem dois celulares, e que um segundo estava em seu bolso escondido, e que quando estava na mata, ligou para amigos, pedindo socorro. 
A vítima lembra que, durante o trajeto, um dos criminosos atendeu o celular por duas vezes e que disse: “que a encomenda estava garantida”, se referindo ao veículo e que, “estava a caminho do segundo serviço”, ele diz acreditar que seja a entrega. 
Um dos ladrões foi descrito apenas como sendo branco, alto e magro, e que estava armado com revólver. Já o outro era pardo e baixo. Os criminosos não foram presos e o veículo ainda não foi localizado. O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do bairro Piratininga – região sul da Capital, mas deve ser encaminhada à Defurv (Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos).
Jornal Midiamax