Geral

Cinegrafista atingido por rojão morre em hospital no Rio de Janeiro

O cinegrafista Santiago Ilídio Andrade, atingido na cabeça por um rojão durante a cobertura de um protesto contra o aumento do preço do ônibus no Centro do Rio de Janeiro, teve morte cerebral nesta segunda-feira. A morte encefálica foi informada pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) no início da tarde e diagnosticada pela equipe de […]

Arquivo Publicado em 10/02/2014, às 15h56

None
860694708.jpg

O cinegrafista Santiago Ilídio Andrade, atingido na cabeça por um rojão durante a cobertura de um protesto contra o aumento do preço do ônibus no Centro do Rio de Janeiro, teve morte cerebral nesta segunda-feira.

A morte encefálica foi informada pela Secretaria Municipal de Saúde (SMS) no início da tarde e diagnosticada pela equipe de neurocirurgia do Hospital Municipal Souza Aguiar, onde ele estava internado no Centro de Terapia Intensiva desde a noite de quinta-feira.

“A pedido da família, a SMS torna público o agradecimento a todos os que torceram pelo seu restabelecimento e que, num ato de solidariedade, atenderam ao chamado para doar sangue ao Hemorio”, informou, em nota, a secretaria.

O tatuador Fábio Raposo confessou à polícia ter participado da explosão do rojão que atingiu o cinegrafista da TV Bandeirantes. Ele foi preso na manhã de domingo em cumprimento a um mandado de prisão temporária expedido pela Justiça.

O cinegrafista cobria uma manifestação na Central do Brasil contra o aumento da passagem de ônibus de R$ 2,75 para R$ 3, que começou a vigorar no sábado no Rio de Janeiro, e acabou ferido por uma bomba identificada pela polícia como sendo do tipo rojão de vara.

O delegado Maurício Luciano, titular da 17ª Delegacia de Polícia e responsável pelas investigações, disse que Fábio já foi indiciado por tentativa de homicídio qualificado e crime de explosão e que a pena pode chegar a 35 anos de reclusão caso o cinegrafista não resistisse aos ferimentos.

Santiago Andrade teve afundamento do crânio, perdeu parte da orelha esquerda e foi submetido a uma cirurgia logo após ser levado para o Hospital Souza Aguiar, onde estava em coma induzido até ser constatada sua morte.

Jornal Midiamax