Geral

Chefe da Malaysia Airlines nega omissão e diz que críticas são injustas

O presidente da Malaysia Airlines afirmou, em entrevista concedida à BBC e divulgada nesta terça-feira (25), que a companhia não escondeu nenhuma informação das equipes de investigação que trabalham na busca pelo voo MH370. Questionado sobre uma eventual renúncia ao cargo, Ahmad Jauhari Yahya disse considerar a decisão, mas descartou tomá-la imediatamente. “Depois. Temos coisas […]

Arquivo Publicado em 25/03/2014, às 14h41

None

O presidente da Malaysia Airlines afirmou, em entrevista concedida à BBC e divulgada nesta terça-feira (25), que a companhia não escondeu nenhuma informação das equipes de investigação que trabalham na busca pelo voo MH370.


Questionado sobre uma eventual renúncia ao cargo, Ahmad Jauhari Yahya disse considerar a decisão, mas descartou tomá-la imediatamente. “Depois. Temos coisas a fazer agora”, disse.


O avião, um Boeing 777-200, viajava de Kuala Lumpur, na Malásia, para Pequim, na China, com 239 ocupantes quando desapareceu após cerca de 40 minutos de voo, no último dia 8 de março.


“Nós temos cooperado totalmente com as equipes de investigação. Temos de entender que há equipes de vários países. Nós não estamos escondendo nada”, disse.


O executivo disse que as críticas sobre a atuação da empresa na assistência às famílias são injustas. “Nosso primeiro papel em uma tragédia como essa é cuidar das famílias, e nós temos feito tudo o que podemos”, afirmou.


As declarações de Yahya contrapõem as críticas de dezenas de familiares de vítimas do voo MH370 que, nesta terça-feira (25), protestaram em frente à Embaixada da Malásia em Pequim.


Desde o desaparecimento do avião, eles reclamam sobre a falta de informações precisas sobre o caso.

Delegação


Uma delegação do governo malaio partiu nesta terça-feira (25) para a China para se reunir com os parentes dos passageiros do avião desaparecido a fim de apaziguar as tensões causadas pelas últimas pistas sobre o acidente.


Segundo Yahya, a delegação explicará com mais detalhes aos parentes os últimos dados sobre o voo MH370 supostamente acidentado no oceano Índico.


A China também exigiu que o governo da Malásia repassasse as provas que diz ter sobre a queda do avião.

Jornal Midiamax