Geral

Chapa 3 elenca 15 metas para cumprir caso eleita para a nova diretoria da AOFMS

Os oficiais da Polícia Militar vão às urnas na próxima terça-feira (15) para eleger a nova diretoria da Associação dos Oficiais Militares de Mato Grosso do Sul (AOFMS). Pela Chapa 3, o candidato é o coronel PM RR Gustavo David Gonçalves. A chapa propõe 15 metas para cumprir caso sejam eleitos. Confira abaixo: 1. Análise […]

Arquivo Publicado em 13/04/2014, às 20h45

None

Os oficiais da Polícia Militar vão às urnas na próxima terça-feira (15) para eleger a nova diretoria da Associação dos Oficiais Militares de Mato Grosso do Sul (AOFMS). Pela Chapa 3, o candidato é o coronel PM RR Gustavo David Gonçalves.

A chapa propõe 15 metas para cumprir caso sejam eleitos. Confira abaixo:

1. Análise e reforma do Estatuto da AOFMS (Pela existência de disposições contraditórias entre si, inclusive para as eleições, pois o artigo 19, I, o parágrafo 2° do artigo 26 e o “caput” do artigo 27 deixam claro que a eleição é somente para Presidente e Vice, tanto que o parágrafo 2° do artigo 26 diz que os demais integrantes serão indicados pelo Presidente e homologados pelo Conselho Fiscal, sendo claro que para se ter um Presidente, necessariamente tem de ter havido uma eleição, uma vez que antes dela não se tem Presidente, existindo apenas candidatos. MAS o artigo 27, I, expressa que as chapas tem de ser completas, não dizendo que essa completude se refere somente aos cargos de Presidente e Vice, abrindo margem a interpretações no sentido de que deve-se arrolar nomes para todos os cargos previstos no artigo 26. E se a Diretoria é eleita em AG, não tem cabimento ser homologada pelo CF).

2. Intenso e efetivo trabalho no sentido de resgatar valorosos sócios que se desligaram (desnecessário ingressar no mérito desses desligamentos), podendo ser citados: Cel QOPM RR Luiz
Catarino, Cel QOPM Adauto, Cel QOPM Guilherme, TC Marcio Àvalos, Maj QOPM Ajala, Ten QOPM
Letícia e o Ten QOPM Robson e todos os da turma deste últimos, além de vários outros).

3. Buscar associação dos recém formados Tenentes do CHO.

4. Criação de Diretoria/Departamento/Setor para cuidar direta e exclusivamente dos interesses, dos anseios e das reivindicações dos Tenentes e dos Capitães (uma para cada categoria) encabeçada por um Oficial do posto respectivo e com ampla liberdade, acesso e voz junto ao Presidente, Vice e demais membros da Diretoria.

5. Busca de projeção política e social da AOFMS, de modo a poder contribuir e, principalmente, influenciar nas decisões governamentais que digam respeito aos interesses da categoria;

6. Buscar guarida da Justiça, rapidamente e com competência, naquelas questões legais não atendidas ou não resolvidas pelo alto escalão governamental (um exemplo seria a situação prevista e não cumprida de pagamento das gratificações de funções).

7. Incremento na questão cultural, com a AOFMS sendo vetor de capacitações, qualificações, cursos, debates, palestras e outros, cujos temas sejam de interesse da Segurança Pública (maioridade penal, mediação e conciliação, TCC, desmilitarização, Unificação, PEC 300 …), da tropa como um todo (Seguro de vida, assistência jurídica e psicológica, fornecimento de fardamento e equipamento adequado e suficiente, manutenção das instalações, pagamento de diárias, ajuda de custo e de horas-aula, previdência, sexto quinquênio, promoção ao posto imediato após 30 anos de efetivo serviço…)

8. Construção de dois apartamentos completos, na sede da AOFMS, com capacidade para receber 04 (quatro) pessoas cada um, de modo a poder atender os Oficiais do interior e familiares que se deslocam para a Capital e não possuam apoio na questão da hospedagem;

9. Incremento das atividades sociais. O lazer e a sociabilidade são fundamentais para o ser humano, mormente quando desempenha atividade estressante. Após a extinção dos ranchos das OPMs (também sem ingressar no mérito), não mais ocorrem as conversas informais, a exposição e discussão de problemas e eventuais soluções, passamos a ser mais colegas que amigos, sem contar que as atividades extra quartéis servem para relaxamento, esquecimento (mesmo que temporário) das atividades inerentes à atuação policial, além de outros tantos benefícios.

9.a Assim, pensa-se em realizar almoços, jantares, comemorações dos aniversariantes do mês, torneios esportivos diversos (inclusive voltados às mulheres), talvez bailes (jantares dançantes), bingos…

9.b. Após enquete com os sócios, quem sabe organizar excursões de compras e passeios à Ponta Porã, Corumbá, Foz do Iguaçu e outros, passeios e viagens diversas (nordeste, cruzeiros marítimos, Sul do País, Argentina…), buscando assessoria especializada, conforme número de interessados, destinos e outros fatores.

10. Tentar adquirir (pode ser doação) de área para construção de sede em Municípios turísticos, como Bonito e outros;

11. Estreitar relações e juntar forças com as outras Associações, mormente na luta por vantagens e interesses comuns.

12. Estreitar relações com a ABOIMS (Associação Beneficente dos Oficiais Inativos e dos Pensionistas da Polícia Militar e do Corpo de Bombeiros Militares do Estado de Mato Grosso.

13. Aproveitar grandes eventos para promover reunião, confraternização e congraçamento entre os Oficiais, promovendo, por exemplo, reuniões, na sede da AOFMS, a fim de que assistamos juntos os jogos da Seleção Brasileira de Futebol, durante a copa do mundo. (E assim também, se houver interessados, com as finais dos mundiais de vôlei de quadra e de praia, eventos das Olimpíadas/2016 e outros….);

14. Tentar montar caravanas e aproveitar algumas facilidades que as Polícias Militares de outros Estados possam proporcionar, para assistir grandes shows que ocorram no circuito São Paulo / Rio de Janeiro, bem como, jogos dos campeonatos paulista, mineiro, carioca outros eventos, conforme sugestões, ocasião e interesse.

15. Prosseguimento e manutenção dos debates com os candidatos ao Governo do nosso Estado, buscando ouvir deles as propostas em relação à Segurança Pública, à PMMS e aos Oficiais. (autonomia orçamentária e financeira; isonomia salarial entre cargos e funções equivalentes das Instituições de Segurança Pública; Prevenção primária, secundária e terciária; Manutenção/locação de VTRs; Política permanente de inclusão e de capacitação; Prioridade para a prevenção; Uso da tecnologia como auxílio e complemento à atividade operacional, à atividade de inteligência, à prevenção e à investigação…)

Jornal Midiamax