Geral

Cerca de três mil acompanham goleada da seleção contra o Camarões na Vila Brasil

Neymar duas vezes, Fred e Fernandinho marcaram os gols do Brasil, que com o 4 a 1 se classificou em primeiro e pegará o Chile sábado.

Arquivo Publicado em 23/06/2014, às 20h55

None
1114563506.jpg

Neymar duas vezes, Fred e Fernandinho marcaram os gols do Brasil, que com o 4 a 1 se classificou em primeiro e pegará o Chile sábado.

Cerca de três mil pessoas acompanharam a vitória do Brasil contra o Camarões na Vila Brasil, nos altos da Afonso Pena. Confiantes na seleção, os torcedores tiveram uma segunda-feira de festa e alegria. Minutos antes da partida a aposta de quem marcaria os gols era unânime: Neymar, isolado, e Fred, balançariam as redes.

E a voz do povo é a voz de Deus. Aos 16 minutos, para a alegria dos torcedores, Luiz Gustavo cruzou para Neymar fazer 1 a 0. Nove minutos depois,ducha de água fria: bola cruzada rasteira na área do Brasil passa por todo mundo e o zagueiro Matip empata o jogo.

A apreensão dos campo-grandenses não durou dez minutos: aos 34, Marcelo toca para Neymar, que arranca e bate cruzado para por o Brasil na frente novamente. O segundo tempo começa e o Brasil logo amplia, aos 4 minutos, com gol de Fred, de cabeça. O volante Fernandinho fez mais um aos 38 minutos, após tabelar com Fred e Oscar.

Com a vitória, o Brasil classificou-se em primeiro lugar e enfrentará o Chile nas oitavas de finais, no sábado (28), em Belo Horizonte, no Mineirão, a partir das 12 horas (horário de MS).

Prefeito prestigia o jogo

O prefeito Gilmar Olarte (PP), acompanhado do secretário municipal de habitação Carlos Marun e de Juliana Zorzo, diretora da Fundação Municipal de Cultura. Olarte chegou assim que Camarões empatou e foi embora após Neymar desempatar. Ele comemorou o gol e deixou o local, no mesmo momento em que homem soltou bomba e foi detido pelos policiais.

“Estava na Prefeitura e passei para prestigiar a festa, que está muito bonita”, disse o prefeito, que deixou o local para ir almoçar. Confiante, Olarte disse acreditar que o Brasil vai longe na Copa: “tem que ir”. Mesmo sentimento dos três mil presentes na Vila Brasil.






Jornal Midiamax