Geral

Caso Giovanna: suspeito de espancar não é ouvido e vai depor apenas em dezembro

Giovanna teria sido agredida pelo então namorado, Matheus, na noite da virada do ano. Ao concluir o inquérito que apurava a agressão, a Policia Civil indiciou Matheus por lesão corporal grave com agravante de violência doméstica. Ele pode pegar pena de 1 a 5 anos de prisão.

Arquivo Publicado em 02/10/2014, às 19h33

None
432781181.jpg

Giovanna teria sido agredida pelo então namorado, Matheus, na noite da virada do ano. Ao concluir o inquérito que apurava a agressão, a Policia Civil indiciou Matheus por lesão corporal grave com agravante de violência doméstica. Ele pode pegar pena de 1 a 5 anos de prisão.

A próxima audiência sobre o caso de espancamento da estudante Giovanna Nantes Tresse de Oliveira, de 19 anos, durante o réveillon deste ano, será realizada no dia 30 de outubro. Na data, Giovanna será ouvida em Londina (PR), onde mora atualmente.


Na tarde desta quinta-feira (2), foi realizada a primeira audiência. Estava previsto que oito testemunhas e o suspeito, Matheus Georges Zadra Tannous, de 21 anos, prestassem depoimento. Porém, a audiência foi redesignada e Matheus será ouvido em dezembro.


Como testemunha de acusação, foi ouvido o primo de Giovanna, Allan Andrade. Após, foram colhidos os depoimentos das testemunhas de defesa presentes. A defesa desistiu de uma das testemunhas, e duas não compareceram e serão ouvidas na próxima audiência. A acusação desistiu da oitiva perito Domingos Sávio, que está em viagem oficial fora do Estado.


De acordo com dados do processo, disponíveis no site do (TJ MS) Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul, foi redesignada a audiência para o interrogatório do acusado no dia 5 de dezembro.


A imprensa não pode acompanhar a audiência desta quinta, pois o corre em segredo de justiça a pedido do Ministério Público e concordância da defesa. A audiência durou cerca de 1h40 e foram ouvidas testemunhas de defesa e uma de acusação. Matheus saiu do Fórum acompanhado de dois advogados e sem falar com os jornalistas.


Agressão


Giovanna teria sido agredida pelo então namorado, Matheus, na noite da virada do ano. Ao concluir o inquérito que apurava a agressão, a Policia Civil indiciou Matheus por lesão corporal grave com agravante de violência doméstica. Por este crime, ele poderá pegar uma pena de 1 a 5 anos de prisão, acrescida de um terço, pela violência doméstica.


Giovanna vive hoje com a mãe em Londrina (PR). O jovem teve a prisão decretada pelo Ministério Público no dia 8 de janeiro, ficou foragido, foi preso, mas conseguiu um habeas corpus e irá aguardar em liberdade a decisão da Justiça.

Jornal Midiamax