Geral

Caso Erlon: quadrilha praticou outro latrocínio em fevereiro e bando pode ser maior

Na manhã desta terça-feira (8), a titular da Defurv (Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos), Maria de Lourdes Souza Cano, revelou que a quadrilha é apontada como a principal responsável por outro latrocínio – roubo seguido de morte – ocorrido em fevereiro deste ano.  “Foi por causa deste caso, que ainda está em […]

Arquivo Publicado em 08/04/2014, às 15h00

None

Na manhã desta terça-feira (8), a titular da Defurv (Delegacia Especializada de Furtos e Roubos de Veículos), Maria de Lourdes Souza Cano, revelou que a quadrilha é apontada como a principal responsável por outro latrocínio – roubo seguido de morte – ocorrido em fevereiro deste ano. 

“Foi por causa deste caso, que ainda está em aberto, que chegamos até o empresário Erlon, que até então estava desaparecido”, falou a responsável pelas investigações. Ela se limitou a dizer mais informações sobre o caso, “como o crime de fevereiro ainda está aberto, não vamos dar outros detalhes, pois acreditamos que o bando seja maior”. 
Maria de Lourdes revelou que após o desaparecimento do empresário Erlon Peterson Pereira Bernal, de 32 anos, houve um leque de possibilidades a ser investigada. “Temos que considerar tudo, pois a informação inicial era que ele saiu para mostrar o carro para alguém, o que de fato não quer dizer nada demais”. 
As equipes se dividiram para realizar as investigações e foi descoberto um caso no início deste ano, onde uma pessoa que estava vendendo um veículo foi morta após se encontrar com o suposto comprador. “Com base nas informações daquele caso é que chegamos até esta quadrilha”, afirma.
Jornal Midiamax