Geral

Casamento gay é realizado sob forte segurança em Livramento

Com forte esquema de segurança, foi realizado na tarde deste sábado em Santana do Livramento (RS) um casamento coletivo incluindo um par homoafetivo, no Fórum da cidade. Segundo informações do programa RBS Notícias, da afiliada local da Rede Globo, a cerimônia teve forte policiamento e presença de autoridades. Marcado originalmente para o CTG Sentinela do […]

Arquivo Publicado em 13/09/2014, às 23h36

None

Com forte esquema de segurança, foi realizado na tarde deste sábado em Santana do Livramento (RS) um casamento coletivo incluindo um par homoafetivo, no Fórum da cidade.

Segundo informações do programa RBS Notícias, da afiliada local da Rede Globo, a cerimônia teve forte policiamento e presença de autoridades. Marcado originalmente para o CTG Sentinela do Planalto, o casamento teve que ser transferido porque o centro de tradição gaúcha foi alvo de incêndio criminoso, motivado por homofobia, na madrugada de quinta-feira.

Apesar de a reconstrução do CTG ter mobilizado um mutirão na cidade, o local não ficaria pronto em tempo de receber a liberação do Corpo de Bombeiros e a juiza Carine Labres transferiu o evento de local.

As jovens Sabriny e Solange foram o centro das atenções e o primeiro par a se casar. O coordenador do CTG incendiado, Gilbert Gisler, e a juíza Carine Labre, alvo de ameaças por incluir o casal de mulheres na cerimônia, estavam entre os mais emocionados.

“Nos saímos vitoriosos, porque trouxemos os olhares da mídia nacional e internacional para todo esse debate”, disse Carine. Segundo ela, o casamento das duas jovens, apesar de todas as ameças e ataques, foi uma reafirmação dos direitos dos homossexuais, sobretudo a tolerância às diferenças.

Ato em São Paulo

Ao mesmo tempo em que a união de Sabriny e Solange ocorria no Rio Grande do Sul, a luta contra a homofobia era tema de uma manifestação em São Paulo, no Largo do Arouche. O ato foi em homemória de João Donati, um jovem homossexual de apenas 18 anos encontrado assassinado quarta-feira. Os manifestantes exigem o fim da violência contra homossexuais e a criminalização da homofobia. O candidato a presidente pelo Partido Verde (PV), Eduardo Jorge, e o cartunista Laerte Coutinho participaram do ato.

Jornal Midiamax