Geral

Campanha na Capital prevê esclarecer dúvidas sobre marcapasso

No próximo dia 23, cardiologistas de Mato Grosso do Sul – em parceria com Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Consórcio Guaicurus e Pátio Central e apoio da Travel Way- vão promover o Dia do Portador de Marcapasso, no Terminal de Ônibus Bandeirantes em Campo Grande, no período matutino, com atendimentos gratuito. Durante à […]

Arquivo Publicado em 19/09/2014, às 20h11

None

No próximo dia 23, cardiologistas de Mato Grosso do Sul – em parceria com Agetran (Agência Municipal de Transporte e Trânsito), Consórcio Guaicurus e Pátio Central e apoio da Travel Way- vão promover o Dia do Portador de Marcapasso, no Terminal de Ônibus Bandeirantes em Campo Grande, no período matutino, com atendimentos gratuito. Durante à tarde, os profissionais estarão atendendo no Pátio Central, no centro da Capital.

A campanha é de utilidade pública e visa dar mais atenção e suporte para os brasileiros portadores de dispositivos cardíacos eletrônicos implantáveis, que têm por finalidade regular os batimentos cardíacos e, também, para orientação de seus parentes. Essa ação acontece simultaneamente em 30 cidades brasileiras.

De acordo com o cirurgião-cardiovascular, Mauro Cosme Gomes Andrade, entre as principais dúvidas dos pacientes e parentes são possíveis interferências de celulares e outros aparelhos eletrônicos, micro-ondas, portas giratórias de bancos, ressonância magnética e se é permitida a prática de atividade física. “Vamos distribuir cartilhas e fazer explicações presenciais com o auxílio de painéis ilustrativos, para esclarecer a população sobre os principais dispositivos eletrônicos implantáveis cardíacos, suas indicações, cuidados pré e pós-operatórios, limitações para prática de esportes e possibilidades de interferências”, explica o médico, membro do DECA (Departamento de Estimulação Cardíaca Artificial), representante no Estado.

Paralelo a isso, a campanha também tem o objetivo de alertar a opinião pública sobre a necessidade de melhorar o acesso dos pacientes que precisam desses dispositivos e ao profissional médico, principalmente no Sistema Único de Saúde, uma vez que atualmente muitas pessoas morrem na fila de espera por um implante.

Segundo dados do Censo Mundial de Marca-passos e Desfibriladores, o Brasil perde nesses procedimentos para países vizinhos como Argentina, Uruguai e Chile. Por aqui são implantados 199 marca-passos por milhão de habitantes, enquanto no Chile são 216, na Argentina 382, no Uruguai 578 e em Porto Rico 606 marca-passos por milhão de habitantes.

Em países desenvolvidos esses números são ainda mais expressivos: 746 na Espanha, 762 em Portugal e 767 marcapassos por milhão de habitantes nos Estados Unidos. Na França são 1.019, na Itália 1.048 e na Alemanha 1.267.

No Brasil atualmente há mais de 300 mil portadores desses dispositivos em uso, sendo que são implantados a cada ano em torno de 40 mil novos dispositivos, no âmbito do SUS, convênios e particulares.

Em Mato Grosso do Sul, de acordo com o Deca, de 2000 até 2012, foram feitas 2.399 cirurgias para instalação do marcapasso. A partir de 2003, a média estava sendo de 200 procedimentos cirúrgicos por ano no Estado, mas em 2012 esse número caiu para 61 cirurgias. “O marcapasso é feito pelo SUS e custa até R$ 60 mil; o dispositivo garante ao paciente com problemas cardíacos uma vida normal”, comentou o médico Mauro Cosme Gomes Andrade.



Jornal Midiamax