Geral

Britânicos acham pegadas mais antigas fora do continente africano

Pegadas deixadas por humanos há 800.000 anos foram encontradas na Inglaterra, nos rastros mais antigos de passos humanos já descobertos fora do continente africano, anunciou nesta sexta-feira uma equipe de pesquisadores. Essas pegadas de adultos e crianças foram encontradas à beira-mar em Happisburgh, no lodo de um antigo estuário. Atualmente existem apenas dois locais onde […]

Arquivo Publicado em 08/02/2014, às 21h32

None
1667490265.jpg

Pegadas deixadas por humanos há 800.000 anos foram encontradas na Inglaterra, nos rastros mais antigos de passos humanos já descobertos fora do continente africano, anunciou nesta sexta-feira uma equipe de pesquisadores.


Essas pegadas de adultos e crianças foram encontradas à beira-mar em Happisburgh, no lodo de um antigo estuário.


Atualmente existem apenas dois locais onde foram encontradas pegadas mais antigas, e ambos estão na África: em Laetoli, Tanzânia, onde foram encontrados rastros de 3,5 milhões de anos, e em Koobi Fora, Quênia (1,5 milhão de anos).


“É uma descoberta excepcionalmente rara”, destacou Nick Ashton do British Museum, que realizou as buscas em cooperação com o Museu de História Nacional e a Universidade Queen Mary de Londres. A mesma equipe já havia encontrado pedras talhadas e fósseis de mamutes neste local, há vários anos.


Os pesquisadores descobriram pegadas durante a maré baixa e se apressaram em fotografá-las, antes que o mar as apagasse. Depois reconstituíram as imagens em 3D e conseguiram identificar que eram de adultos, além de algumas menores, que provavelmente pertenciam a crianças.


“É claramente uma célula familiar, em vez de um grupo de caçadores”, declarou Ashton, que considera que esses ancestrais mediam entre 90 cm e mais de 1,70 metro. No entanto, não se sabe a identidade exata dos humanos que deixaram essas pegadas.


Eles podem estar relacionados a um povo de um período semelhante encontrado em Atapuerca, na Espanha, relacionado à espécie Homo antecessor, ou o “homem pioneiro”, disse Chris Stringer, do Museu de História Natural. “Essas pessoas tinham uma altura parecida com a nossa e eram totalmente bípedes,” disse.


O Homo antecessor, aparentemente extinto na Europa há 600.000 anos, talvez tenha sido substituído pela espécie Homo heidelbergensis, seguida pelos Neanderthais, de cerca de 400.000 anos atrás, e pelos humanos modernos, que povoaram a Terra há por volta de 40.000 anos.

Jornal Midiamax