Geral

‘Brasileiro não sabe de 30% do que o governo faz’, diz Lula

O presidente de honra do PT, o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva cobrou do partido nesta sexta-feira uma posição firme de defesa das realizações do seu governo e de sua sucessora, a presidente Dilma Rousseff. Durante o 21º Encontro Estadual do PT do Rio Grande do Sul, que oficializou a candidatura de […]

Arquivo Publicado em 06/06/2014, às 23h50

None

O presidente de honra do PT, o ex-presidente da República Luiz Inácio Lula da Silva cobrou do partido nesta sexta-feira uma posição firme de defesa das realizações do seu governo e de sua sucessora, a presidente Dilma Rousseff. Durante o 21º Encontro Estadual do PT do Rio Grande do Sul, que oficializou a candidatura de Tarso Genro à reeleição no governo gaúcho, Lula afirmou que a população brasileira não é bem informada sobre os avanços das políticas públicas no País e, apesar de anunciar que evitaria críticas à imprensa, acusou a mídia de fazer parte de um “processo premeditado de desinformação”.

“Hoje eu prometo que não vou falar mal da imprensa aqui”, começou Lula, recebendo em resposta um coro da plateia: “Fala! Fala!” “Eu vou repetir uma coisa que é uma angústia que eu tenho. Eu acho que, por conta do tratamento que a imprensa tem dado ao governo Dilma, o povo brasileiro não sabe 30% do que o governo da presidente Dilma está fazendo”, disse o ex-presidente.

Lula afirmou que, em recente encontro com jovens filhos de políticos petistas, descobriu que poucos sabiam das realizações dos 11 anos de governo do PT. “Se um menino de 20 anos e um jovem de 17 anos não sabem o que o nosso governo fez, se não sabem a transformação que nós fizemos no País, alguma coisa de errado está acontecendo no País. E descobri que há um processo de desinformação premeditado no País, para as pessoas só saberem o que há de errado no País”, atacou.

Segundo Lula, cabe à militância confrontar o discurso da oposição de que os feitos do governo se devem exclusivamente ao esforço individual de cada brasileiro. “Agora falam que se alguém entrou na universidade, foi porque estudou muito. Se alguém conseguiu um emprego, foi por esforço próprio. Tudo agora virou esforço próprio, e eu me pergunto: se essas pessoas são tão esforçadas, por que não conquistaram isso no governo dos tucanos?”, questionou. “Quando alguém fala mal do País, nós temos que perguntar de que data eles estão falando, e se eles se lembram de como era o País em 2002, quando nós assumimos”, cobrou Lula.

Por fim, o ex-presidente arrancou risos da militância ao atacar um dos principais jargões da oposição, que trata da necessidade de um “choque de gestão” no governo. “Nós temos instrumentos e argumentos, coisa que eles não têm. Porque eu estou vendo eles falarem, e a única palavra deles é choque de gestão. Toda vez que um tucano fala em choque de gestão eu já sei que o trabalhador vai entrar pelo cano, porque isso significa demissões e cortes nos salários”, disse.

Mapa eleitoral 2014 Mapa eleitoral 2014

A fala de Lula encontrou respaldo no discurso de Dilma, que comparou o atual momento com o vivido pelo ex-presidente antes das eleições de 2002. “Se na eleição do presidente Lula a esperança venceu o medo, nessa eleição é a verdade que vai vencer toda a quantidade de mentira e desinformação semeada pelo País. E é importante que a verdade vença essa quantidade de mentiras, para que o futuro possa vencer aqueles que querem voltar ao passado”, afirmou a presidente.

“É importante a gente perceber que começa no governo do presidente Lula uma trajetória de transformação poucas vezes vista, de forma democrática, no mundo. Uma desconcentração da renda, uma distribuição da renda, num movimento que eu chamaria de avassalador”, disse Dilma.

Jornal Midiamax