Geral

BA: jogo da Copa do Brasil é suspenso em virtude da greve da PM

A suspensão do jogo Vitória e J. Malucelli, que aconteceria às 19h30 desta quarta-feira, no Estádio de Pituaçu, em Salvador, está entre os impactos no cotidiano da cidade provocados pela greve dos policiais e bombeiros militares da Bahia, deflagrada na noite de ontem. O adiamento da partida, que altera o calendário da Copa do Brasil, […]

Arquivo Publicado em 16/04/2014, às 20h56

None

A suspensão do jogo Vitória e J. Malucelli, que aconteceria às 19h30 desta quarta-feira, no Estádio de Pituaçu, em Salvador, está entre os impactos no cotidiano da cidade provocados pela greve dos policiais e bombeiros militares da Bahia, deflagrada na noite de ontem.

O adiamento da partida, que altera o calendário da Copa do Brasil, foi uma decisão tomada em reunião conjunta entre o presidente da Federação Baiana de Futebol, Ednaldo Rodrigues; da CBF, José Maria Marin; do Vitória, Carlos Falcão; e do diretor de competições da CBF, Virgílio Elísio.

O jogo foi adiado sem data próxima a ser definida. Por enquanto o jogo Bahia e Villa Nova-MG, agendado para acontecer às 21h desta quinta-feira, na Arena Fonte Nova, está mantido e ainda terá a sua situação avaliada pela CBF.

A rotina da cidade está bastante alterada, mesmo com a chegada, na tarde de hoje, das Forças Armadas para garantir a segurança da população durante a greve. O secretário de Segurança Pública, Maurício Barbosa, fez um pedido para que a população “toque suas vidas” e não deixe de ir trabalhar ou estudar.

Desde o início da paralisação, Salvador registra ruas vazias e saques a lojas e estabelecimentos comerciais em vários pontos da cidade. Houve suspensão das atividades de escolas e universidades até a semana que vem, mesmo a chegada de 5 mil homens das Forças Armadas.

Ônibus serão recolhidos

Outro fator que prende o morador de Salvador em casa até que se regularize a situação da segurança na capital é a circulação do transporte coletivo. Apesar de os ônibus circularem até às 18h nesta quarta-feira, por determinação do Sindicato dos Rodoviários da Bahia, a frota, que já está reduzida a 30%, iria começar a ser recolhida para as garagens a partir das 16h.

De acordo com o diretor do sindicato, Daniel Mota, a orientação é que os rodoviários circulem até às 18h. Caso haja casos de violência contra a categoria, a medida será revista. Todos os locais que tiverem problemas de segurança, o sindicato vai tirar os carros.

O sindicalista informou que no terminal da estação da Lapa, os ônibus da empresa BTU e Vitral rodam normalmente. Já os coletivos das empresas Barramar e Praia Grande voltaram para as garagens por conta da violência. Ainda segundo o diretor, ele testemunhou um assalto em frente à garagem da empresa Praia Grande, onde o Exército chegou a perseguir os bandidos.

Os policiais civis também fazem greve, a princípio até o fim do dia de hoje. Será mantido 30% do efetivo trabalhando no atendimento, e apenas serviços essenciais estão mantidos, como levantamento cadavérico, crimes contra a criança e a vida e prisões em flagrante.

Jornal Midiamax