Geral

Avião desaparecido teria diminuído altitude e pode ter sido visto por moradores da Malásia

Investigadores do desaparecimento do Boeing 777 da Malaysia Airlines afirmaram nesta segunda-feira (17) que o avião teria caído para uma altitude de 5.000 pés (1,5 km) para evitar que radares captassem sua trajetória. A informação ganha credibilidade com novos relatos de moradores que viram luzes e muitos barulhos no horário provável em que a aeronave […]

Arquivo Publicado em 18/03/2014, às 14h11

None

Investigadores do desaparecimento do Boeing 777 da Malaysia Airlines afirmaram nesta segunda-feira (17) que o avião teria caído para uma altitude de 5.000 pés (1,5 km) para evitar que radares captassem sua trajetória.

A informação ganha credibilidade com novos relatos de moradores que viram luzes e muitos barulhos no horário provável em que a aeronave fez a curva.

A prática de voar com baixa altitude é conhecida como “terrain mask” (máscara de terreno, em tradução livre) e é considerada perigosa e arriscada, porque coloca uma pressão muito grande na estrutura da aeronave. Além disso, sem a assistência de radares, o avião poderia se chocar com montanhas, árvores ou outras aeronaves.

Segundo informações do tabloide britânico Daily Mail, pelo menos nove pessoas fizeram relatos à polícia sobre terem visto luzes no céu e barulhos de motor. A área apontada coincide com as conclusões de que o avião havia feito uma curva acentuada em direção ao oeste de seu curso previsto, sobre o mar do sul da China.

O primeiro relato sobre o assunto veio de Alif Fathi Abdul Hadi, de 29 anos. Ele disse que viu a luz em direção ao mar do sul da China à 1h45 da manhã (horário local), na noite em que a aeronave desapareceu.

O empresário vive em Kampung Kadok, no extremo noroeste da Malásia, perto da fronteira sul da Tailândia, e a luz que ele teria visto também foi testemunhada por outras pessoas, quilômetros mais longe da rota original do voo MH-370.

Hadi disse a um jornal local que a luz era como as de uma aeronave durante a decolagem ou pouso.

“Eu estava andando para trás da minha casa. Quando eu vi a luz, me perguntei para onde ele estava indo. O espaço aéreo aqui é como uma estrada para aviões e eles costumam viajar por aqui. No entanto, a luz que eu vi estava se movendo para uma direção completamente diferente. Ele estava indo em direção ao mar.”

Quando soube do desaparecimento, ele se apresentou à polícia para contar o que viu.

Outro morador local, o pescador Azid Ibrahim, de 55 anos, disse que viu uma sobrecarga de luz no céu na manhã de sábado (8), cerca de 100 km ao sul de onde o empresário Hadi mora.

Ibrahim também disse que é normal ver luzes dos aviões distantes, como as estrelas. Mas ele explica também que viu que as luzes estavam muito próximas, abaixo das nuvens.

Sua descrição tende a indicar que, se a luz que ele viu foi da aeronave desaparecida, tinha virado para o norte ao invés de continuar em seu caminho normal.

Após essas considerações, outras nove pessoas foram até à polícia relatar que também tinham visto um avião sobrevoando em baixa altura no nordeste do país, perto da fronteira com a Tailândia.

Na segunda-feira (17), o número de países envolvidos na busca de o avião aumentou para 26. O Cazaquistão, localizado no extremo noroeste da área de pesquisa, juntou-se à operação.

Jornal Midiamax