Geral

Autoridades do BC do Japão sinalizam prontidão para agir

O banco central do Japão está pronto para expandir mais o estímulo monetário se necessário para proteger seu mandato relativo à inflação, disseram duas autoridades nesta quinta-feira, alertando que a fuga dos mercados emergentes já está afetando os ativos japoneses. O vice-presidente Kikuo Iwata descartou uma expansão imediata do estímulo monetário, destacando que um crescimento...

Arquivo Publicado em 06/02/2014, às 10h14

None

O banco central do Japão está pronto para expandir mais o estímulo monetário se necessário para proteger seu mandato relativo à inflação, disseram duas autoridades nesta quinta-feira, alertando que a fuga dos mercados emergentes já está afetando os ativos japoneses.


O vice-presidente Kikuo Iwata descartou uma expansão imediata do estímulo monetário, destacando que um crescimento sólido nos Estados Unidos vai sustentar a demanda global e manter a terceira maior economia do mundo no caminho de uma recuperação moderada.


“Não estou preocupado demais com a economia dos EUA e portanto em termos de política monetária do Japão acho que podemos manter nossa política atual”, disse ele em entrevista à imprensa após se reunir com líderes empresariais em Miyazaki, sul do Japão.


Mas apesar disso ele destacou a prontidão do BC para agir se os riscos externos afetarem a meta de inflação.


Após quase um ano de estímulo monetário e fiscal, a preocupação entre alguns no BC é que problemas em outros lugares possam afetar o progresso obtido.


“Se algum tipo de risco se materializar, vamos adotar os ajustes de política necessários para garantir nossa meta de preços de 2 por cento”, disse Hiroshi Nakaso, outro vice-presidente do BC, ao Parlamento na quinta-feira.


Nakaso alertou que as fortes vendas em moedas de mercados emergentes, provocadas em parte pela redução do estímulo dos EUA, já afetou o Japão ao elevar o iene e prejudicar as ações.

Jornal Midiamax