Geral

Austrália disse que fez espionagem “para ajudar amigos”

O Primeiro-Ministro australiano, Tony Abbott, disse neste domingo que o governo utiliza material de inteligência para “beneficiar amigos” e “mostrar seu valor” depois de relatórios que provaram espionagem na Indonésia. A relação entre os países vizinhos está em crise desde novembro de 2013, quando O Guardian Australia e a ABC publicaram em conjunto alguns dos […]

Arquivo Publicado em 16/02/2014, às 22h00

None

O Primeiro-Ministro australiano, Tony Abbott, disse neste domingo que o governo utiliza material de inteligência para “beneficiar amigos” e “mostrar seu valor” depois de relatórios que provaram espionagem na Indonésia.


A relação entre os países vizinhos está em crise desde novembro de 2013, quando O Guardian Australia e a ABC publicaram em conjunto alguns dos documentos vazados por Snowden, mostrando que a Austrália espionou o presidente indonésio, Susilo Bambang Yudhoyono, sua esposa e de altos funcionários em 2009. As denúncias tiveram como base os documentos vazados por Edward Snowden.


Abott recusou-se a comentar o relatório, também baseado nos materiais recolhidos por Snowden. “Nós nunca comentamos o propósito de uma operação de inteligência. É uma prática antiga seguida por todos os governadores australianos”, disse Abbott. Entretanto, o primeiro-ministro afirmou que as informações obtidas são utilizadas apenas para o benefício de “amigos” e para o reforço de valores do país e que jamais são usadas em detrimento de outros países. “Nós usamos informações para proteger nossos cidadãos e os cidadãos de outros países, e não para propósitos comerciais”, disse à AFP.


O Ministro disse que respeita profundamente a Soberania da Indonésia. “Queremos trabalhar o mais próximo possível com a Indonésia para acabar com o tráfico de pessoas, pois, todos sabemos, tem custado caro neste país”, disse ele.

Jornal Midiamax