Geral

Às vésperas da Copa, clima verde e amarelo ainda não empolga o torcedor, dizem ambulantes

De forma tímida, comparada às copas anteriores e levando em consideração a proximidade do início da Copa do Mundo, que começa em 12 de junho no Brasil, o mercado de ambulantes que vendem camisetas e bandeiras da seleção brasileira começa a despontar em Campo Grande (MS). A oito dias para o início do mundial, é […]

Arquivo Publicado em 04/06/2014, às 17h48

None
618625125.jpg

De forma tímida, comparada às copas anteriores e levando em consideração a proximidade do início da Copa do Mundo, que começa em 12 de junho no Brasil, o mercado de ambulantes que vendem camisetas e bandeiras da seleção brasileira começa a despontar em Campo Grande (MS).

A oito dias para o início do mundial, é possível ver alguns canteiros e esquinas da Capital com varais cheios de produtos “verde e amarelo”. Mas, ao contrário da Copa do Mundo de 2010, aponta um vendedor, as pessoas ainda não estão no clima do mundial e as vendas ainda não decolaram. “Até agora o movimento está fraco”, reclama a Célio Alencar, de 48 anos.

Ele se instala no mesmo ponto há oito anos e conta que, neste mesmo período, há quatro anos, as vendas estavam bem melhores. Ele aponta a questão política como fator que atrapalhou a comercialização nesta copa. “Acredito que o governo deixou um pouco a desejar na saúde e segurança. Por isso, a população acabou desanimando com a copa”, lamenta.

Para tentar vestir, literalmente, a camisa do Brasil, Edilson De Paula, de 45 anos, foi em busca de um uniforme da seleção para seu filho de 12 anos. “Vim atrás de um uniforme para meu filho usar em uma festa à fantasia e aproveitar na copa, além de já ir entrando no clima”, brinca.

Outra vendedora, Tatiane Silva, de 32 anos, que começou a comercializar os produtos há dois dias, em outro ponto da cidade, também reclama do movimento para o período. “Acho que o povo ainda não está confiante nessa copa”, ressalta. No entanto, ela espera que depois do primeiro jogo as pessoas entrem na festa e a procura pelos produtos aumente. “Se o Brasil ganhar o primeiro jogo, então, tenho certeza que melhora”.

Mas há quem contrarie e seja exceção à regra de poucas vendas. Ana Paula de Souza, de 21 anos, já comemora as vendas em seu ponto. Ela, inclusive, afirma que suas vendas já superaram as expectativas. “Estou há três dias e já vendi bem”, comemora.

Além dos vendedores ambulantes, é possível ver pelo centro de Campo Grande, e mesmo em vários bairros, lojas de utilidades recheadas de produtos da seleção brasileira. Há 15 dias comercializando bandeiras e camisetas, além de outros itens, o gerente Samir Esmail, de uma loja na Avenida Júlio de Castilho, na Capital, comemora o aumento nas vendas. Para ele, as vendas já aumentaram, principalmente, na última semana.

Entre os itens verde e amarelo, em todos os pontos de vendas visitados pelo Midiamax, estão camisetas, uniformes, bandeiras de diversos tamanhos, buzinas, além de acessórios variados. Os valores variam de R$ 3 a R$ 65 para bandeiras e R$ 15 a R$ 45 as camisetas. Os mais vendidos, por enquanto, são camisas e bandeiras da seleção brasileira.

Jornal Midiamax