Geral

Após reportagem, Prefeitura limpa calçadas perto de escola e terrenos particulares seguem sujos

Na manhã de quarta-feira (12), a reportagem do Midiamax constatou a falta de manutenção de calçadas e terrenos em vários pontos de Campo Grande. Um deles foi nas proximidades da Escola Municipal Danda Nunes, no bairro Vivendas do Bosque. Nesta quinta-feira (13) a Prefeitura começou a limpeza das calçadas da região, mas o maior problema […]

Arquivo Publicado em 13/02/2014, às 17h20

None
513548164.jpg

Na manhã de quarta-feira (12), a reportagem do Midiamax constatou a falta de manutenção de calçadas e terrenos em vários pontos de Campo Grande. Um deles foi nas proximidades da Escola Municipal Danda Nunes, no bairro Vivendas do Bosque.

Nesta quinta-feira (13) a Prefeitura começou a limpeza das calçadas da região, mas o maior problema não foi resolvido, já que os terrenos ao redor continuam com mato alto.

Um funcionário da escola, que não quis se identificar, disse que esse é um problema antigo e que na época da chuva fica pior ainda porque o mato acaba crescendo mais rápido. Ele também reclama dos vizinhos que não se preocupam em fazer a manutenção das suas próprias calçadas.

“Em um bairro nobre da cidade é complicado as pessoas não limparem nem a frente de sua casa.”

O funcionário relata ainda que quando os moradores resolvem fazer a limpeza acabam agravando mais a situação, pois jogam o lixo nos terrenos ao lado. “Demoram a limpar e quando limpam atravessam a rua e jogam podas de árvores e todo tipo de lixo no terreno vazio”.

Ivanir Ferreira da Silva, de 51 anos, trabalha na escola há 7 anos e disse que o problema do mato alto sempre existiu e a infestação de animais e mosquitos é constante. “Não é de agora isso não. Por causa do mato aparece tudo quanto é bicho aqui na escola. A Polícia Ambiental já veio aqui uma vez recolher bicho que nasceu na lixeira da escola”, relata Ivanir.

Segundo Dalva Dutra, também funcionária da escola, os terrenos com mato alto são propriedades particulares e o donos nunca se preocuparam com a manutenção. “Os dono tem a cara de pau de vir e só limpar uma pequena parte que as crianças têm usado para cortar caminho. Se fosse terreno de gente pobre já tinha sido multado,” conclui Dalva.

Está em vigor desde junho do ano passado a lei complementar que cobra dos proprietários a limpeza e, caso nada seja feito, dá a Prefeitura condições de limpar os terrenos privados.

A reportagem entrou em contato com a Prefeitura de Campo Grande, mas até o fechamento desta matéria não obteve resposta.

Jornal Midiamax