Geral

Apesar de estado alerta, casos de dengue tendem a diminuir em Campo Grande

Após o balanço da dengue ser divulgado pelo Ministério da Saúde na manhã da última terça-feira (18) e ter colocado Campo Grande como uma das 725 cidades brasileiras em situação de alerta, o chefe do serviço de controle de vetores de Campo Grande Alcides Ferreira, informou os número da dengue na capital desde o início […]

Arquivo Publicado em 19/03/2014, às 17h30

None

Após o balanço da dengue ser divulgado pelo Ministério da Saúde na manhã da última terça-feira (18) e ter colocado Campo Grande como uma das 725 cidades brasileiras em situação de alerta, o chefe do serviço de controle de vetores de Campo Grande Alcides Ferreira, informou os número da dengue na capital desde o início do ano.

De acordo com Alcides, 1.424 casos de dengue foram notificados em Campo Grande neste ano, sendo 698 em janeiro, 618 em fevereiro e até ontem 107 casos no mês de março. O chefe do controle de vetores também afirmou que não foi registrado nenhum caso grave, nem nenhum óbito em decorrência da dengue.

Alcides ainda informou como o Ministério da Saúde como funciona o Liraa (Levantamento de Índice Rápido de Infestação por Aedes aegypti). Segundo ele, se a cidade apresenta até 0,9% neste índice, ela está no grupo de baixo risco. De 1% a 3,9% o estado é de alerta (Campo Grande teve 2,1% no Liraa de janeiro), e acima de 4% já é considerado um risco de epidemia.

“Como podemos ver, Campo Grande vem numa decrescente de casos de dengue notificados. Em fevereiro, tivemos 80 casos a menos que janeiro e com certeza em março o número de casos será bem menor em relação aos dois primeiros meses do ano. Estamos fazendo todas as atividades possíveis para que esse quadro não evolua para uma epidemia”, afirmou Alcides.

Segundo ele, as visitas domiciliares, visitas a pontos estratégicos como ferros-velhos, borracharias, terrenos baldios entre outros, realização de forças tarefa com agentes comunitários, mutirões de limpeza e a presença do fumacê nos bairros são as principais causas da queda no número de casos de dengue notificados.

A perspectiva do chefe de controle de vetores de Campo Grande é que já em maio, quando sai outro relatório do Liraa, a capital já consiga atingir o patamar de baixo risco em relação à dengue.

Jornal Midiamax