Geral

Anhanguera Educacional tem queda de 84% no lucro do 4º trimestre

A Anhanguera Educacional divulgou nesta segunda-feira queda de 84,4 por cento no lucro líquido do quarto trimestre ante igual período de 2012, a 2,7 milhões de reais, impactada por piora nos resultados financeiros, pagamento de impostos e pelas despesas de depreciação e amortização. No período, a geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de […]

Arquivo Publicado em 17/03/2014, às 11h31

None

A Anhanguera Educacional divulgou nesta segunda-feira queda de 84,4 por cento no lucro líquido do quarto trimestre ante igual período de 2012, a 2,7 milhões de reais, impactada por piora nos resultados financeiros, pagamento de impostos e pelas despesas de depreciação e amortização.

No período, a geração de caixa medida pelo Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização) foi de 69,6 milhões de reais, alta de 37,1 por cento na comparação anual.

Entre outubro e dezembro, o resultado financeiro foi negativo em 33,2 milhões de reais, um aumento de 52,6 por cento sobre o mesmo trimestre do ano anterior, afetado por despesas com juros e pela variação cambial em relação à dívida exposta ao euro, disse a Anhanguera.

Já as despesas com depreciação e amortização subiram 20,9 por cento na mesma base de comparação, a 26,9 milhões de reais, enquanto a despesa com Imposto de Renda e Contribuição Social somou 6,7 milhões ante resultado positivo em 10,8 milhões de reais um ano antes.

Em relação aos resultados operacionais, a companhia viu aumento de 19,1 por cento na receita líquida trimestral, a 432,4 milhões de reais, beneficiada pelo aumento do tíquete médio e pelo crescimento de 1 por cento na base de alunos.

Durante o trimestre, as despesas administrativas subiram 45,9 por cento, a 53,9 milhões de reais, em virtude da nova outorga de opções da empresa e seu consequente aumento de despesas no resultado.

Além disso, a Anhanguera também citou o impacto de despesas relacionadas à fusão com Kroton e a redução de outras receitas operacionais no ano, acrescentando que em 2012 essa linha havia sido positivamente impactada por ganhos de capital referentes à venda de imóveis.

As despesas de vendas da empresa subiram 19,8 por cento sobre o mesmo trimestre de 2012, a 67,8 milhões de reais, em função do aumento do provisionamento com devedores duvidosos.

No ano, o lucro líquido da companhia foi de 125,4 milhões de reais, recuo de 17,5 por cento sobre 2012.

Para 2014, a empresa disse esperar reverter resultados da operação de cursos livres, que tiveram uma queda de 21 por cento na base de alunos no ano passado. Para tanto, a Anhanguera afirmou que irá reestruturar cursos telepresenciais e lançar cursos online, que devem representar 10 por cento da sua receita.

A companhia, que anunciou em abril de 2013 acordo de fusão com a empresa de educação Kroton Educacional, acrescentou que a operação “segue avançando”, em referência à aprovação junto ao Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) e planejamento de integração. O Cade tem até junho para julgar o processo.

Nos últimos dias, circularam notícias sobre o suposto interesse da Kroton em renegociar com a Anhanguera os termos da associação que criará a maior empresa de educação do país em função da ampliação da diferença entre o valor das ações das duas companhias desde a celebração do acordo.

No fim de fevereiro, as empresas afirmaram que todas as condições previstas na assinatura da fusão estavam mantidas.

Jornal Midiamax