Geral

Alunos ocupam reitoria da UFMS por aplicação do Programa Nacional de Assistência Estudantil

Cerca de 20 alunos ocupam a reitoria da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), e outros 40 estão do lado de fora para reivindicar sobre pontos do Programa Nacional de Assistência Estudantil e o não pagamento do benefício de Bolsa permanência, destinado a alunos com baixa renda comprovada através do perfil socioeconômico do […]

Arquivo Publicado em 29/04/2014, às 23h08

None
243091053.jpg

Cerca de 20 alunos ocupam a reitoria da Universidade Federal de Mato Grosso do Sul (UFMS), e outros 40 estão do lado de fora para reivindicar sobre pontos do Programa Nacional de Assistência Estudantil e o não pagamento do benefício de Bolsa permanência, destinado a alunos com baixa renda comprovada através do perfil socioeconômico do Exame nacional do Ensino Médio (ENEM).

No local as informações são de que o benefício vem sendo desviado desde 2008 para pesquisas de iniciação científica, mas neste ano a situação teria piorado, pois nenhuma parcela foi paga desde o início das aulas.

A ocupação na reitoria foi deliberada no final da tarde, após assembleia realizada por integrantes do Diretório Central de Estudantes (DCE) e alunos beneficiados.

Um grupo entrou em contato com a vereadora Luiza Ribeiro para pedir ajuda junto à Comissão de Direitos Humanos na OAB/MS. Há relatos de forte truculência da segurança contra os alunos, incluindo uso de armas de fogo para intimidação.

Uma das acadêmicas que preferiu não se identificar disse que chegou a levar choque de um dos seguranças. Já outra estudante conta que foi empurrada, no momento em que estava em cima da grade da reitoria. “Quando saiu um carro, eles tiraram dois à força e deram choque”, conta a estudante de Ciências Biológicas.

Além do Bolsa Permanência, os alunos exigem o imediato cumprimento de pontos do decreto nº 7.234 de 2010 do Programa Nacional de Assistência Estudantil (PNAES), que de não estariam sendo cumpridas. São elas a moradia estudantil, alimentação, no caso da falta do restaurante noturno na Universidade e valor alto das refeições, falta de creche, laboratórios de informática entre outros.

Os universitários pedem o apoio de toda a sociedade e estudantes secundaristas para participarem da ocupação. Ainda de acordo com os estudantes, o protesto não tem ligação com Diretório Estudantil e nem um movimento partidário. Todos farão uma assembléia, na manhã desta quarta-feira (29), quando será feita a pauta de reivindicações.

Jornal Midiamax