Aluguel de hospital vai custar R$ 2,3 milhões por ano e pode durar até 60 meses

Prefeitura vai pagar R$ 194 mil por mês pelo aluguel do prédio do Sírio-Libanês, onde vai funcionar hospital pediátrico; vereadora questiona contratação, enquanto município espera ter tudo funcionando em dois meses.
| 14/08/2014
- 18:18
Aluguel de hospital vai custar R$ 2,3 milhões por ano e pode durar até 60 meses

Prefeitura vai pagar R$ 194 mil por mês pelo aluguel do prédio do Sírio-Libanês, onde vai funcionar hospital pediátrico; vereadora questiona contratação, enquanto município espera ter tudo funcionando em dois meses.

A Prefeitura de Campo Grande vai pagar R$ 2,3 milhões, por um ano, para alugar o prédio do Hospital Sírio-Libanês, no centro da cidade. O contrato já está valendo e, no local, deverá funcionar o Hospital Pediátrico Municipal, conforme nominação do município.

O extrato da contratação está publicado no Diogrande (Diário Oficial de Campo Grande) desta quinta-feira (14). Serão exatos R$ 2.329.800 no total, ou seja, R$ 194,1 mil mensais pelo aluguel.

Ainda conforme publicado no Diogrande, a locação foi feita sem licitação. O acordo, válido desde 5 de agosto, é prorrogável até um total de 60 meses.

Os custos para uso e manutenção dos equipamentos ainda não foram divulgados. A publicação oficial desta quinta trata apenas da locação do imóvel, que fica na Avenida Afonso Pena, entre as ruas Rui Barbosa e Pedro Celestino.

Na sessão desta quinta, a Câmara Municipal deve votar requerimento da vereadora Luiza Ribeiro (PPS) questionando a contratação. Ela quer detalhes do negócio entre a Prefeitura e a El Kadri Participações e Investimentos Imobiliários, dona do hospital.

Entre as dúvidas, está a justificativa para a inexigibilidade de licitação. “Como provar que isso (arrendar o hospital) é mais efetivo que colocar médicos nos postos de saúde?”, questionou a parlamentar já na sessão desta quinta.

A Prefeitura, por outro lado, espera dar fim à falta de pediatras no sistema municipal de saúde, centralizando o atendimento desta especialidade no Hospital Pediátrico. No dia 5, quando o acordo foi assinado, a Prefeitura informou que o custeio mensal – além do aluguel – deve chegar a R$ 2 milhões, com previsão de início de funcionamento em dois meses.

No prédio, ainda segundo informações da Prefeitura, há 90 leitos normais, 10 leitos de CTI (Centro de Tratamento Intensivo), dois de isolamento e três salas cirúrgicas. Entre os equipamentos, há os necessários para exames de radiografia e tomografia.

Últimas notícias