Geral

Alta de bolsas eleva patrimônio privado global em 14%

Os ganhos no mercado financeiro, em especial na China, elevaram o patrimônio global das famílias em 14% no ano passado, para um volume recorde de US$ 152 trilhões – o equivalente a cerca de dez vezes o tamanho da economia americana, segundo um relatório da consultoria Boston Consulting Group. No Brasil, onde o patrimônio das […]

Arquivo Publicado em 10/06/2014, às 11h42

None
1462036712.jpg

Os ganhos no mercado financeiro, em especial na China, elevaram o patrimônio global das famílias em 14% no ano passado, para um volume recorde de US$ 152 trilhões – o equivalente a cerca de dez vezes o tamanho da economia americana, segundo um relatório da consultoria Boston Consulting Group.


No Brasil, onde o patrimônio das famílias havia crescido 14% em 2012, a alta em 2013 foi menor – 5,6% – por causa do ritmo mais fraco do mercado de ações e títulos no ano passado.


O patrimônio é calculado levando em conta a poupança, depósitos em dinheiro, ações e outros ativos. Imóveis, artigos de luxo e empresas não são contabilizados.


“Em quase todos os países, o crescimento no patrimônio privado foi liderado pela alta no mercado de ações que começou na segunda metade de 2012”, afirmou o Boston Consulting Group (BCG).


A riqueza acumulada em ações subiu 28% no ano passado, afirmou a consultoria.


O desempenho foi impulsionado pela relativa estabilidade econômica na Europa e nos Estados Unidos, e sinais de recuperação em alguns países europeus, como Irlanda, Espanha e Portugal.”


Milionários asiáticos


A consultoria calcula que o patrimônio acumulado das famílias se aproximará de US$ 200 trilhões em 2018. A formação da nova riqueza ocorrerá principalmente na região de Ásia-Pacífico.


Excluindo o Japão, o patrimônio na região subiu 30% em 2013, para US$ 37 trilhões, disse o BCG, e deve chegar a US$ 61 trilhões em 2018.


Neste ano, a Ásia-Pacífico deve superar a Europa como a segunda região mais rica do mundo, e ultrapassar a América do Norte para chegar à liderança em 2018.


O ritmo do acúmulo de riqueza nos países da região é ilustrado pela multiplicação de famílias milionárias (com patrimônio acima de US$ 1 milhão) na China.


Em 2012, eles eram 1,5 milhão de lares; um ano depois, contavam 2,4 milhões.


No mundo, o número de famílias milionárias passou de 13,7 milhões em 2012 para 16,3 milhões em 2013.


Os Estados Unidos, onde acumulam um patrimônio de US$ 50,3 trilhões, ainda são o país com o maior número de agregados familiares milionários: 7,1 milhões, sendo que, destes, 1,1 milhão são consideradas novas famílias milionários.

Jornal Midiamax