Na segunda-feira (20), o Midiamax noticiou a aparição de água preta em trecho do Rio Aquidauana, na Ponte do Grego, em Terenos. O pescador José Haroldo Rodrigues, 49, mais conhecido como Zé Leão, acordou cedo para pescar quando viu que a água do rio estava diferente. “Os peixes estão bobos, boiando, se não tomar cuidado podem morrer”, alertou.

O cabo Manoel, da Polícia Militar Ambiental (PMA) de Mato Grosso do Sul, disse que a PMA se deslocaria até o local para verificação ainda na segunda-feira e afirmou que a ocorrência não é comum. Desde então, segundo Zé Leão, a PMA não apareceu. Após a água preta deixar a região da Ponte do Grego, o pescador arrisca que já deve estar chegando no trecho do rio em Aquidauana.

Caseira de uma chácara a 10 quilômetros de Anastácio, Aparecida Guedes, 48, entrou em contato com o Midiamax hoje (22) para relatar que viu peixes cambaleando em cima da água na tarde de ontem. “Moro há dez meses na beira do rio e nunca vi isso. Parece que caiu veneno no rio”.

O marido de Aparecida viu a coloração estranha e chamou a mulher para ver. “É como se estivessem derramando cinzas no rio. Se você mexe na água surge uma nata preta, que lembra café”, descreve a caseira.

O mistério segue, a polícia não aparece e enquanto isso, Aparecida tem que pensar em outro prato para o almoço. “Não dá para comer peixe com a água assim”, declarou.

Desligando na cara

Desde terça-feira (21), a reportagem tenta entrar em contato com a PMA e não consegue. Diversas vezes a PMA inclusive desligava a ligação.