Geral

Agetran faz ação educativa para evitar estacionamento proibido na Júlio de Castilho

A partir do dia 20 de maio, os motoristas que estacionarem seus veículos na avenida Júlio de Castilho, no período das 6 horas às 10 horas e das 16 horas às 19 horas passarão a ser multados pelos agentes de trânsito da Agetran (Agência Municipal de Trânsito). Desde a primeira semana de abril, os agentes […]

Arquivo Publicado em 29/04/2014, às 19h32

None
1114480107.jpg

A partir do dia 20 de maio, os motoristas que estacionarem seus veículos na avenida Júlio de Castilho, no período das 6 horas às 10 horas e das 16 horas às 19 horas passarão a ser multados pelos agentes de trânsito da Agetran (Agência Municipal de Trânsito).

Desde a primeira semana de abril, os agentes têm percorrido a avenida para orientar os motoristas sobre as novas regras de estacionamento na avenida. Mesmo com este trabalho de conscientização e apesar de terem sido instaladas placas de orientação, somente na última segunda-feira, durante o período que o pessoal da agência percorreu a via, foram encontrados 50 veículos estacionados durante o período de proibição.

Em cumprimento a um acordo firmado com os comerciantes da região, por 90 dias (um mês apenas com fiscalização educativa), o estacionamento na avenida Júlio de Castilho será permitido entre 10 horas da manhã e 16 horas.

Segundo o diretor do Departamento de Planejamento da Agetran, Jerônimo Barros da Costa, nestes três meses será feito um acompanhamento do impacto desta medida sobre o fluxo de veículos e, principalmente, se haverá algum prejuízo para o transporte coletivo. Está sendo avaliado, sobretudo, o tempo de duração do trajeto de ida e volta dos ônibus entre a Cabeça de Boi (início da avenida) e o terminal.

Conforme os técnicos da agência municipal, caso fique demonstrado que o estacionamento (ainda que limitado a seis horas diárias) gera congestionamento e atrasa a circulação dos ônibus, será restabelecido o projeto inicial de proibir estacionamento na avenida.

Segundo o diretor-presidente da Agetran, Jean Saliba, a Júlio de Castilho é uma via rápida que não comporta estacionamento, assim como a avenida Eduardo Elias Zahran. Outra característica do trânsito na Júlio de Castilho (também semelhante ao modelo da Zahran) é a proibição de conversão à esquerda. Os motoristas terão de recorrer às vias de acesso, percurso que tecnicamente é chamado de laço de quadra, para fazer o trajeto. Nesta semana, deve ser concluído o recapeamento das últimas três vias.

Jornal Midiamax