Geral

Agetran diz que enviou viatura ao local onde caminhões de mercado atrapalham trânsito

Uma viatura da Agência Municipal de Trânsito (Agetran) foi até a Rua Artur Jorge, em Campo Grande, verificar carreta do supermercado Extra que estacionou em fila dupla, na última quinta-feira (10). De acordo com a Agetran, o órgão recebeu a solicitação de viatura, mas ao chegar ao local, a situação já havia sido normalizada. Segundo […]

Arquivo Publicado em 14/04/2014, às 20h47

None

Uma viatura da Agência Municipal de Trânsito (Agetran) foi até a Rua Artur Jorge, em Campo Grande, verificar carreta do supermercado Extra que estacionou em fila dupla, na última quinta-feira (10). De acordo com a Agetran, o órgão recebeu a solicitação de viatura, mas ao chegar ao local, a situação já havia sido normalizada.

Segundo o chefe de divisão e operação de trânsito da Agetran, José Alves de Arruda Filho, a viatura – que foi até o local – retornou 20 minutos depois com a informação de não havia mais irregularidade no local, apenas as duas carretas estacionadas regularmente.

Ele acrescenta ainda que naquela região – entre as ruas Antônio Maria Coelho e Maracaju, entre outras – a circulação e estacionamento de veículos como carretas, é permitido com algumas restrições. “Neste caso, a circulação não é proibida”, disse.

Com relação ao veículo estacionado em fila dupla, Arruda classificou como “falta de bom senso” e “abuso” por parte dos responsáveis. O chefe de divisão informou ainda que, em dias de maior movimentação, a Agetran costuma realizar uma maior fiscalização nos locais de supermercado. “Já notificamos casos em que carretas pararam até no ponto de ônibus”.

Outra saída, de acordo com Arruda, é orientar a administração do mercado para que eles tomem alguma providência, como utilizar carros menores para descarga de mercadorias.

Entenda o caso

Uma carreta estacionada em fila dupla causou congestionamento na última quinta-feira (10), na Rua Artur Jorge, entre as ruas Antônio Maria Coelho e Maracaju, em Campo Grande (MS), por pelo menos três horas.

Além do veículo parado irregularmente, havia duas outras carretas estacionadas nas vagas, que segundo os comerciantes da região, permanecem no local durante semanas. De acordo com um empresário, que não quis se identificar, o ocorrido não é novidade e já acontece há anos. “Estamos aqui há 15 anos e desde que eu me lembro é assim. Quando isso acontece para todo o trânsito”.

Ele ainda conta que é comum o supermercado estacionar as carretas em todas as ruas que cercam o local. “Um dia desses eles chegaram a estacionar uma das carretas no ponto de ônibus, na rua Antônio Maria Coelho”, conta.

A reclamação dos comerciantes, além do tumulto gerado no trânsito, é de que, ao estacionar, mesmo que corretamente, os caminhões ocupam pelo menos oito vagas que deveriam ser destinadas para carros utilitários. “O Extra deveria ter um centro de distribuição mais distante, assim como faz a maioria das grandes redes, e uma veículo menor transportar as cargas até aqui”, reclama.

Jornal Midiamax