Geral

Acusado de roubo tem mão cortada por extremistas muçulmanos na Síria

Um grupo de islamitas sírios cortou a mão de um homem acusado de roubo como punição – uma prática prevista na lei muçulmana – e transmitiu tudo ao vivo no Twitter, com imagens da amputação sendo reproduzidas em tempo real. O tribunal popular aconteceu na cidade de Maskanah, perto de Aleppo, na Síria, e foi […]

Arquivo Publicado em 01/03/2014, às 15h10

None
70459152.jpg

Um grupo de islamitas sírios cortou a mão de um homem acusado de roubo como punição – uma prática prevista na lei muçulmana – e transmitiu tudo ao vivo no Twitter, com imagens da amputação sendo reproduzidas em tempo real. O tribunal popular aconteceu na cidade de Maskanah, perto de Aleppo, na Síria, e foi acompanhado por diversos canais jihadistas nas redes sociais. Depois que o caso foi divulgado, a conta foi suspensa da rede social.

O grupo responsável por amputar o suposto ladrão – uma organização conhecida como ISIS (sigla em inglês para Estado Islamita no Iraque e na Síria) afirmou que o homem pediu para ser punido dessa forma. Veículos que cobriram o evento confirmaram que o acusado admitiu seus crimes e “pediu para que sua mão fosse cortada a fim de purificar seus pecados”. Todas as fotos do caso e as contas que o reproduziram foram removidas do Twitter.

Uma das fotos mostra o homem, com os olhos vendados, sendo mantido com a mão sobre uma mesa enquanto muitos militantes – que seriam rebeldes envolvidos na luta contra o governo sírio – seguram seu corpo. A cerimônia contou com um homem vestido em um traje branco tradicional e uma espécie de carrasco, com capuz preto, segurando uma espada que foi usada para cortar a mão do homem.

Jornal Midiamax