Geral

“Acho que não merecia tanto”, diz dono de Fusca incendiado em SP sobre ajuda de internautas

Mesmo feliz com as manifestações de solidariedade vindas da internet, o serralheiro Itamar dos Santos, 55 anos, que teve o Fusca 1975 incendiado durante protesto no último sábado (25) na região central de São Paulo, demonstra timidez ao falar do assunto. No início, ele resistiu à ideia de aceitar ajuda, mas foi convencido a reconsiderar. […]

Arquivo Publicado em 29/01/2014, às 11h47

None
1149458497.jpg

Mesmo feliz com as manifestações de solidariedade vindas da internet, o serralheiro Itamar dos Santos, 55 anos, que teve o Fusca 1975 incendiado durante protesto no último sábado (25) na região central de São Paulo, demonstra timidez ao falar do assunto. No início, ele resistiu à ideia de aceitar ajuda, mas foi convencido a reconsiderar. Pensou melhor e reconheceu que não teria condições, neste momento, de comprar outro veículo.

“Dei várias entrevistas, mas não foi com o intuito de pedir carro para ninguém. Mas as pessoas se comoveram e estão querendo ajudar. Realmente, exatamente agora, eu não vou poder comprar outro [veículo] mesmo, então, estou aceitando […] Se chegar uma ajuda na minha casa, não vou recusar, porque não tenho condições de ficar recusando as coisas.”

Casado e pai de três filhos, Santos é morador da Vila São José, na Cidade Dutra, zona sul da capital paulista. O serralheiro, que ainda se recupera do susto, diz ter ficado “meio sem jeito com a situação”, mas se mostra satisfeito com a mobilização dos internautas.

“Eu vejo com muita alegria. Fico muito satisfeito com as pessoas querendo me ajudar. Sinceramente, acho que não merecia tanto, mas já que estão querendo me ajudar, eu agradeço muitíssimo.”

Algumas das iniciativas para tentar adquirir outro Fusca para Santos estão no vakinha.com.br, um “portal destinado à criação e gerenciamento de vaquinhas online”. Uma das campanhas sobre o tema criadas no site tinha como meta arrecadar R$ 10.000,00. Pouco mais de 24 horas depois de ser colocada no ar, havia conseguido R$ 2.788,50. Segundo a página, o valor a confirmar era de R$ 6.128,02.

Outra manifestação de apoio ao serralheiro é a campanha #VaiTerFusca, que disponibiliza a conta bancária de Santos para doações. O blogueiro Eduardo Guimarães, um dos organizadores, conta que cobria a manifestação de sábado e viu o automóvel incendiado.

“Você vendo uma pessoa humilde, que precisa do carro para trabalhar, passar por aquilo […] Comecei a comentar e alguém disse: “Puxa vida, já pensou se fizessem uma campanha para ajudar? ”Fiz as contas e falei: “Espera aí, havia umas duzentas pessoas que responderam aquilo que falei no Facebook, propondo isso aí”. Trinta reais de cada uma, está resolvido o problema. Você faz o bem e não te custa nada. A sensação é fantástica.”

Guimarães, que faz questão de destacar a transparência da campanha, foi até à casa do serralheiro e gravou um vídeo com ele. Como o dinheiro está sendo depositado na conta de Santos, ele não sabe dizer exatamente o valor que já foi arrecadado, mas afirma que várias pessoas mandaram recibo de depósito.

Rostos cobertos

O Fusca do serralheiro foi incendiado por um grupo de manifestantes nas proximidades da praça Roosevelt. Santos voltava da igreja  com mais quatro pessoas no carro — dentre elas, uma criança de 4 anos —, quando o carro foi abordado.

De acordo com o serralheiro, usando lenços pretos para cobrir os rostos, os integrantes do grupo estavam colocando fogo em colchões para interceptar a via e podem ter jogado um dos colchões no carro.

Jornal Midiamax