Geral

Acadêmicos de direito são vítimas de sequestro relâmpago no Jardim dos Estados

Casal de 18 e 22 anos, que é acadêmico do curso de direito, foi vítima de sequestro relâmpago na noite desta quinta-feira (5), ao sair de um restaurante localizado na Rua Euclides da Cunha, no Jardim dos Estados, região central de Campo Grande. Os enamorados ficaram com os ladrões por 7 horas. As vítimas e […]

Arquivo Publicado em 06/06/2014, às 11h12

None
1444788681.jpg

Casal de 18 e 22 anos, que é acadêmico do curso de direito, foi vítima de sequestro relâmpago na noite desta quinta-feira (5), ao sair de um restaurante localizado na Rua Euclides da Cunha, no Jardim dos Estados, região central de Campo Grande. Os enamorados ficaram com os ladrões por 7 horas. As vítimas e seus familiares tiveram os nomes preservados.


De acordo com a mãe da estudante de 18 anos, uma funcionária pública de 52 anos, a filha havia avisado que iria sair com o namorado. “Ela foi pra aula na UCDB e depois contou que iria jantar, mas como isso é habitual, não me preocupei e acabei pegando no sono. Pela manhã fui acordada com um telefonema falando sobre o roubo”, conta.


CRIME


Após a aula, o casal foi para o restaurante e mais tarde ao sair do local foi abordado por dois homens armados com revólveres. O acadêmico tomou a direção do próprio veículo, o Citroën C4, placa NRF-5415, de Campo Grande (MS), e ficou sob a mira de um dos criminosos que sentou no banco do carona.


Já a namorada ficou no banco de trás com o comparsa. Eles mandaram que o rapaz desse voltas por Campo Grande e até o guiou para uma casa, onde as vítimas não sabem informar. No local, eles ficaram vendados por horas.


Mais tarde, eles colocaram as vítimas no Citroën e os liberam próximo da Avenida Fábio Zahran, por volta das 5 horas desta sexta-feira (6). Os acadêmicos contaram que pegaram um táxi e foram até a casa do rapaz e contou toda a história à mãe dele, uma funcionária de 50 anos, que entrou em contato com a mãe da jovem.


Os criminosos levaram o veículo do rapaz e R$ 100 da estudante. Eles afirmaram que os ladrões não foram violentos. O caso foi registrado na Depac (Delegacia de Pronto Atendimento Comunitário) do Bairro Piratininga, região sul de Campo Grande.

Jornal Midiamax