Geral

Wikileaks publica foto de Snowden ao lado de supostos ex-informantes

O portal Wikileaks publicou nesta quinta-feira uma fotografia de Edward Snowden, o ex-técnico da CIA asilado em Moscou, acompanhado de outros supostos ex-informantes dos arquivos secretos dos Estados Unidos. Trata-se da primeira foto de Snowden desde agosto, quando ele deixou o aeroporto de Moscou, onde esteve retido por cinco semanas. Na imagem divulgada hoje, ele […]

Arquivo Publicado em 10/10/2013, às 19h04

None

O portal Wikileaks publicou nesta quinta-feira uma fotografia de Edward Snowden, o ex-técnico da CIA asilado em Moscou, acompanhado de outros supostos ex-informantes dos arquivos secretos dos Estados Unidos.


Trata-se da primeira foto de Snowden desde agosto, quando ele deixou o aeroporto de Moscou, onde esteve retido por cinco semanas. Na imagem divulgada hoje, ele aparece ao lado de outros quatro supostos ex-informantes das atividades ilegais da CIA, da NSA, do Ministério da Justiça dos EUA e do FBI, além da colaboradora do Wikileaks Sara Harrison.


O encontro registrado na imagem ocorreu ontem em algum lugar de Moscou, onde os ex-técnicos dos serviços secretos citados entregaram a Snowden o prêmio anual Sam Adams por ele ter revelado a trama de espionagem em massa articulada pela CIA.


Os ex-técnicos presentes na reunião são Jesselyn Radack, que revelou dados sobre a atividade ilegal do FBI; Thomas Drake, que vazou informações sobre a NSA; Coleen Rowley, que também revelou dados sobre o FBI; e Ray McGovern, que informou sobre atividades da CIA. O grupo deu uma entrevista hoje para a emissora de televisão “Russia Today”.


“Está muito bem, muito concentrado. Continua sendo muito inteligente e alegre”, comentou Jesselyn Radack sobre Snowden.


“Está convencido de que o que fez foi o correto. Está tranquilo e quer saber que destino o aguarda”, disse, por sua parte, Ray McGovern.


Todos os informantes afirmaram que não se arrependem de seus vazamentos. Thomas Drakea, que revelou dados sobre a violência e abusos exercidos pela NSA, revelou que pagou um preço muito alto por seus atos.


Drakea disse que sua família e seus amigos receberam ameaças. “Tenho sorte de estar livre. Mas é o preço que sempre se paga por estas coisas”, lamentou.


Já Jesselyn Radack afirmou que “não poderia imaginar que o presidente Obama perseguiria pessoas como Thomas Drake, Edward Snowden e Bradley Manning (soldado que revelou ao Wikileaks os abusos do Exército dos EUA no Afeganistão e Iraque)’.


Jesselyn trabalhou como conselheira ética do Departamento de Justiça dos EUA, e revelou que depois dos ataques de 11 de setembro o FBI interrogou John Walker Lindh (conhecido como o “talibã americano”) sem que houvesse um advogado presente.


A reunião de Snowden com seus antigos colegas dos serviços secretos aconteceu pouco antes de seu pai, Lon Snoeden, chegar na capital russa para se encontrar com seu filho.

Jornal Midiamax