Geral

Volta de Lucas Leiva acirra disputa de volantes no Brasil de Felipão

Se o técnico Luiz Felipe Scolari enfrenta escassez de certa forma preocupante para fechar sua lista de goleiros e atacantes para a Copa do Mundo, no meio-campo a situação é contrária. Esse quadro foi acentuado pelo retorno de Lucas Leiva ao time depois de quase dois anos: na excursão à Ásia, com os jogos de […]

Arquivo Publicado em 09/10/2013, às 20h47

None
1356352044.jpg

Se o técnico Luiz Felipe Scolari enfrenta escassez de certa forma preocupante para fechar sua lista de goleiros e atacantes para a Copa do Mundo, no meio-campo a situação é contrária. Esse quadro foi acentuado pelo retorno de Lucas Leiva ao time depois de quase dois anos: na excursão à Ásia, com os jogos de sábado e terça-feira contra Coreia do Sul e Zâmbia, respectivamente, Felipão tem à disposição pela primeira vez cinco volantes atuando em grandes ligas europeias.


Um quadro que promete acirrar ainda mais a disputa por um lugar na Copa do Mundo. Embora haja poucos motivos para por enquanto se questionar a titularidade de Paulinho (Tottenham) e Luiz Gustavo (Wolfsburg), os nomes que ficarão com as teóricas duas vagas restantes ainda não estão definidos.


Hernanes (Lazio) pode até se sentir em vantagem por ter sido importante na Copa das Confederações, mas Ramires (Chelsea) impressionou nos amistosos contra Austrália e Portugal depois de não ter sido convocado para o evento-teste do Mundial. Lucas, que no Liverpool tem sido um dos jogadores com maior rodagem no futebol inglês, chega para aumentar a sombra.


“Ninguém pode se sentir titular. Todo mundo precisa estar ciente de que a concorrência na seleção vai sempre ser forte. Sei que há fatores que me favorecem, mas é difícil fazer planos”, diz Luiz Gustavo, cuja tenacidade defensiva foi um dos pontos altos na Copa das Confederações.


O jogador mais próximo dessas características de contenção é Lucas, que na Era Mano Menezes foi diversas vezes utilizado como um dos meias defensivos. Ramires surge como uma opção de maior versatilidade, podendo atuar também como um meia direita.


“Estou mais do que acostumado a jogar na proteção. É meu papel no Liverpool. Pode não ser a posição mais excitante para o público, mas alguém precisa estar pronto para absorver os ataques do adversário”, brinca Lucas.


Dependendo da boa fase do quinteto por clube e país, Felipão pode optar por se esquivar de uma dor de cabeça com o uso de uma vaga de atacante para acomodar a turma toda. Neste caso, a sombra de Leiva e Ramires não seria sobre Luiz Gustavo ou Paulinho, mas sobre Lucas Moura, do PSG.


Os movimentos de Felipão nos treinos e partidas em Seul e Pequim poderão dar uma mostra do que o treinador pretende fazer, especialmente quando a seleção terá apenas os amistosos de novembro e março antes do Mundial.


Neste sábado, às 8h (de Brasília), o Brasil vai enfrentar a Coreia do Sul, no World Cup Stadium, em Seul. O confronto será transmitido ao vivo pela TV Globo, Sportv e globoesporte.com.


A seleção brasileira enfrenta a Coreia do Sul neste sábado, às 8h (horário de Brasília), em Seul.

Jornal Midiamax