Geral

Temendo ‘onda de cassações’, candidatos evitam abusos nas eleições de julho

As eleições seguem tranquilas nos três municípios de Mato Grosso do Sul que escolhem prefeitos no domingo (7): Jardim, Bela Vista e Figueirão. Faltando cinco dias para a votação, a Justiça Eleitoral não recebeu denúncias graves em nenhum dos três municípios . Segundo os responsáveis pelos cartórios eleitorais, não há, por exemplo, denúncias de compra […]

Arquivo Publicado em 02/07/2013, às 20h03

None

As eleições seguem tranquilas nos três municípios de Mato Grosso do Sul que escolhem prefeitos no domingo (7): Jardim, Bela Vista e Figueirão. Faltando cinco dias para a votação, a Justiça Eleitoral não recebeu denúncias graves em nenhum dos três municípios . Segundo os responsáveis pelos cartórios eleitorais, não há, por exemplo, denúncias de compra de voto, como a que derrubou o prefeito de Jardim, Marcello Henrique de Mello (PDT).

No município, só o candidato Dr. Erney (PT) tem denúncias de propaganda irregular. A coligação adversária já fez denúncia pelo uso indevido do artista Osmar da Gaita, como locutor nos eventos políticos, compartilhamento pelo facebook de uma pesquisa eleitoral, em forma de enquete, sem registro na Justiça Eleitoral e distribuição de uma pesquisa eleitoral onde os investigados aparecem em primeiro lugar.

Os adversários pediram busca e apreensão dos jornais alegando abuso do poder econômico e uso indevido dos meios de comunicação social. Já o candidato Gláucio Cabreira (DEM) não foi denunciado oficialmente.

Em Bela Vista, onde o prefeito Abraão Zacarias (PMDB) foi cassado por acusação de uso indevido de um jornal para fazer promoção pessoal dele e do vice, Luis Alexandre Loureiro (DEM), a campanha também segue tranquila, sem denúncias muito graves.

O candidato do PSB, Dr. Renato, lidera o número de representações, com seis pedidos de providência de adversários, mas sem nenhuma acusação de compra de votos. Os processos referem-se a pedidos de direito de resposta, questionamento sobre uso de amplificador de som e uma de propaganda indevida em jornais e no comitê.

O candidato do DEM, Dr. Marco Palmieri, também tem representações contrárias. Ele recebeu dois pedidos de direito de resposta e uma providência da Justiça contra o uso de auto falante e amplificador de som. Os candidatos Prof. Orlanda (PHS) e Reinaldo Piti (PSDB) não tiveram representações contrárias à campanha.

A eleição é mais tranquila no Município de Figueirão, onde nenhum dos candidatos, Neilo Cunha (PMDB) e Prof. Juvenal (PTB), responde a questionamentos oficiais sobre as campanhas. O TRE convocou nova eleição para o Município depois de Cassar o prefeito e o vice, Getúlio Furtado Barbosa e Rogério Rosalin, ambos do PMDB, por contratação irregular de servidores. Eles foram acusados de contratarem cargos comissionados e temporários sem concurso público ou processo seletivo simplificado para trocar por votos.

As eleições nos três municípios acontecem no domingo (7). Nesta quinta-feira (3) encerra-se o prazo para a divulgação da propaganda eleitoral gratuita no rádio e na televisão; propaganda política mediante reuniões públicas ou promoção de comícios e utilização de aparelhagem de sonorização fixa, entre as 8h e 24h, e realização de debates, admitida a extensão cuja transmissão se inicie nesta data e se estenda até as 7 horas do dia 5 de julho.

Jornal Midiamax